• Guilherme Amendola

A VELHA ROTINA DE UM SÃO PAULO DESCONECTADO DA REALIDADE

O São Paulo entrou em campo no Castelão para defender a sexta colocação no Campeonato Brasileiro, que com o título do Flamengo no último sábado, da vaga direta para a fase de grupos da Libertadores do ano que vem. Vindo de três jogos sem vencer, o tricolor tinha a missão de buscar os três pontos para não permitir que Internacional e Corinthians se aproximassem. Já para o Ceará, o jogo era de suma importãncia na acirrada briga contra o rebaixamento.

Foto: JL ROSA/FRAMEPHOTO/GPress

O técnico Fernando Diniz procurou manter a escalação do segundo tempo contra o Santos, cujo o time teve uma boa atuação, com Tchê Tchê e Liziero como dupla de volantes, Daniel Alves na articulação e Igor Gomes improvisado na frente, no lugar de Pablo suspenso. Já Adilson Batista não pode contar com Galhardo desde o início por ter treinado pouco durante a semana, e opstou por entrar com três volantes.


A primeira etapa foi equilibrada, o São Paulo teve maior posse de bola e o controle do jogo, e o Ceará esperou atrás da linha da bola, buscando algum contra ataque. Porém, nenhuma das equipes conseguiu criar oportunidades que levassem perigo ao gol adversário. Igor Gomes poderia ter aberto o placar quando ficou na cara do goleiro depois do passe de Dani Alves, mas jogou por cima. Wescley também teve a oportunidade de marcar, mas parou em Tiago Volpi. Eis que no final do primeiro tempo, Vitor Bueno abriu o placar, após jogada de Igor Gomes e assistência de Juanfran.


No segundo tempo, o São Paulo voltou com uma proposta totalmente fora das características do treinador, e recuou o time para administrar o resultado. Além de mudar a filosofia, não conseguiu ser eficiente se defendendo, e ofereceu grande pressão do adversário e muitas finalizações de perigo, e foi totalmente nulo na parte ofensiva. Até que aos 50 minutos a bola sobra para Felipe que faz o gol de empate do time da casa, que mereceu o gol pela mudança de postura e o volume ofensivo no segundo tempo.


O resultado não tira o São Paulo da sexta colocação pelos tropeços de Corinthians e Internacional. Será muito difícil que o clube não se classifique para a Libertadores de 2020, muito mais pela incompetência dos adversários e pelo grande número de vagas que é dado pela Conmebol para os clubes brasileiros. Já o Ceará sai com um bom empate pelas circunstâncias do jogo, mas em termos de tabela não distancia a equipe da zona de rebaixamento, que terá uma ferrenha briga até a última rodada.