• Guilherme Silva

A volta por cima de D.Rose


Foto: David Sherman

  Todo fã de basquete conhece Derrick Rose, até mesmo aqueles que não são muito chegados ao esporte, já ouviu falar nele. Uma das camisas mais populares, o famoso número 1 do Bulls, finalmente consegue jogar uma temporada em um nível muito melhor do que era visto nos últimos anos.


  Em seu primeiro ano na NBA 2008/09, foi eleito o melhor novato, era apenas o começo de sua carreira, ate então extremamente promissora. Dois anos depois na temporada de 2010/11, veio o maior prêmio individual para um jogador da liga, conseguiu o MVP com apenas 22 anos, o mais jovem da história a conseguir, tinha tudo para fazer com que a cidade de Chicago, visse mais um título após seus anos de glórias com Michael Jordan.


  No ano seguinte, 2011/12, foi quando o drama de D.Rose começou, durante a temporada fez apenas 39 jogos, devido às lesões, mas ainda conseguindo ir para o All-Star Game, mas em um jogo pelo playoffs contra o 76ers, veio o pior, acabou se machucando. Rose, teve uma ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, fazendo com que perdesse a temporada seguinte inteira. E na sua volta, jogou apenas 10 jogos e voltou a lesionar o joelho, só que dessa vez o menisco do direito, tendo que passar por mais uma cirurgia.


  Somente em 2014/15, conseguiu jogar os playoffs, fazendo bons jogos até, só que acabou sendo eliminado para o Cavs de Lebron James em 6 partidas. Mas não era o mesmo jogador de antes, sem aquela explosão absurda na infiltração do garrafão que o fazia ser "imparável". Depois que saiu do Bulls, foi para o Knicks onde fez uma temporada boa, com 18 pontos de media, mas o time de Nova Iorque não quis renovar. No Cavaliers, atuou em poucos jogos, devido a uma lesão em seu tornozelo. Rose chegou a pensar em se aposentar devido às dores que sentia. Ele acabou sendo trocado e foi para Utah Jazz, que o dispensou logo depois.


  Foi quando a franquia de Minessota o contratou dos agentes livres, onde jogou os playoffs, tendo uma media de 14 PPJ em 20 minutos por partida. Só que nessa temporada de agora, aconteceu uma das coisas mais incríveis em sua carreira. Derrick Rose, depois de diversas lesões graves e possível aposentadoria, marcou 50 pontos em uma partida, a maior marca dele em todos os anos na NBA, ele não conseguia fazer 40+ desde o ano em que foi MVP, sem dúvida esse foi um dos momentos mais emocionantes na Nba. E não apenas esse jogo em si, mas a forma que vem jogando no Timberwolves, claro que não é mais aquele de 2011, mas é o melhor D.Rose depois das lesões sem dúvidas.