• Leonardo Cruz

AMANDA NUNES VENCE HOLANDESA NA RAÇA E MANTÉM CINTURÃO NO UFC

Atualizado: 7 de Jan de 2020


Foto: Getty Images


A edição 245 do UFC realizada no último sábado (14/12), na cidade de Las Vegas proporcionou fortes emoções ao público presente na “T-Mobile Arena”, isso porque nada menos que três disputas de cinturão foram colocadas em jogo.


Após algumas lutas empolgantes nas preliminares, o card principal trouxe além dos combates que valeram títulos, a disputa brasileira válida pela categoria peso-galo entre Marlon Moraes e o ex-campeão José Aldo.


O esperado combate iniciou de forma muito dura para Aldo que demonstrou vulnerabilidade após sofrer um perigoso chute de Marlon que não conseguiu aproveitar o bom momento para impor o knockout ao adversário. Recuperado, o ex-campeão equilibrou a luta e passou a proporcionar perigo na trocação. Os dois lutadores ao mesmo tempo que eram cautelosos, não deixavam de tentar controlar o centro do octógono e impor seu jogo.


No segundo round, o ritmo da luta se modificou, Aldo não tinha mais o mesmo ímpeto do período anterior, mas mesmo assim, tentava pontuar aplicando golpes em Moraes que utilizava os contra-golpes para não deixar o manauara tranquilo no combate. Nos instantes finais, mesmo sem tanta contundência, a trocação foi constante entre os dois lutadores.


O round final foi a chance para os dois brasileiros tentarem suas últimas cartadas para não depender da decisão dos árbitros. O equilíbrio era total, Aldo mesmo demonstrando estar mais cansado buscava a iniciativa, mas Moraes, confiante na vitória apenas administrava a luta sempre com muita movimentação, evitando o confronto direto como aconteceu nos rounds anteriores. Ao final do combate, a vitória por decisão dividida foi dada a Marlon Moraes.


Foto: Steve Marcus / Getty Images / AFP

Esta foi a sexta derrota na carreira de José Aldo que continua vivendo momentos de instabilidade no UFC, são cinco reveses nas últimas oito lutas disputadas. Em contrapartida, Marlon Moraes, com este importante triunfo, chegou a 23 vitórias em seu cartel.


Na disputa do cinturão da categoria peso-pena, o campeão Max Holloway desafiou o australiano Alexander Volkanovski que sofreu apenas uma derrota na carreira profissional.

O combate começou com Alexander Volkanovski tomando a iniciativa, aplicando bons golpes e com boa movimentação no octógono, proporcionava muito perigo ao campeão que demorava para demonstrar reação no round.

Max Holloway adotou outra postura no segundo round, mais atento às investidas do desafiante, equilibrou o combate acertando boas combinações de golpes no australiano que demonstrou não se abalar com a evolução do campeão na luta.


No terceiro round, a intensidade da luta se manteve a mesma dos períodos anteriores, mas o equilíbrio foi o ponto forte, os dois lutadores mantiveram a disputa em pé e com boa e franca trocação. Volkanovski que chegou a ser surpreendido no round anterior, ajustou a sua defesa, mas não conseguiu impor a superioridade obtida nos primeiros cinco minutos do combate.


Na volta para o penúltimo round, os dois lutadores já demonstravam certo cansaço, os golpes já não saiam com a mesma facilidade, mas mesmo tendo dificuldades, Holloway tentou pressionar o adversário em busca do knockout, mas sem obter melhor sorte na luta.


A disputa chegou ao seu decisivo round com um Volkanovski mais cauteloso, sem se expor muito, Holloway por sua vez, queria uma luta mais intensa, mas suas tentativas eram bem defendidas pelo australiano. Ao final do combate, os árbitros deram a vitória por unanimidade para Alexander Volkanovski.


Com este triunfo, o australiano além de conquistar sua vigésima primeira vitória na carreira profissional, ganhou também o cinturão da categoria peso-pena. Já Max Holloway, acrescentou a quinta derrota em seu cartel.



Foto: UFC Divulgação

Na luta principal e uma das mais aguardadas do evento, válida pela categoria peso meio-médio, o nigeriano Kamaru Usman colocou seu cinturão em disputa contra o estadunidense Colby Covington.


Durante o primeiro round, Covington foi mais incisivo, passou a maior parte dos cinco minutos iniciais buscando se impor na luta, tentando controlar o centro do octógono para não permitir que o campeão pudesse aplicar seu jogo. Em alguns momentos, o lutador estadunidense chegou a conectar boas sequências de socos e joelhadas, mas Usman conseguiu se defender das tentativas do rival com tranquilidade.


O ritmo do combate se manteve parecido no retorno para o segundo round, o nigeriano Kamaru Usman se mostrou mais agressivo, equilibrando a luta na trocação e com isso, não permitindo que Colby Covington pudesse levar vantagem na contagem dos árbitros. Mesmo com o combate tendo ganhado em emoção, os dois lutadores não conseguiam ter a contundência necessária para definir a luta por knockout.


A luta não empolgava o público presente na “T-Mobile Arena”, na volta para o terceiro round, os lutadores não conseguiam impor um ritmo mais intenso no combate. Nos minutos finais, Covington acertou o dedo no olho do campeão, que após se recuperar do incidente, tentou aplicar uma sequência de golpes no adversário, mas não obteve êxito na tentativa de finalizar a disputa.


Na volta para o penúltimo round, os dois lutadores modificaram seus estilos, mais agressivos e velozes, tentavam impor um ritmo de luta mais forte para surpreender o oponente, mas ainda assim, tanto Usman quanto Covington não conseguiam provocar algum tipo de incômodo no rival, a grande maioria das tentativas de golpes de ambos os lados, não causava danos mais severos ao adversário. O estadunidense inclusive, voltou para este período com um lesão na mandíbula, fato que o próprio lutador confirmou aos seus técnicos ao final do round anterior e que o prejudicou de maneira exponencial na sequência do combate.


O equilíbrio vinha sendo a marca dos quatro rounds disputados, no último, mesmo com total incerteza de quem seria o vencedor, os lutadores não tentavam impor um ritmo diferente para tentar a vitória. Com os passar dos minutos, Usman e Covington começaram a demonstrar cansaço e os golpes eram desferidos com maior dificuldade. Nos instantes finais, o nigeriano resolveu apertar o ritmo e aplicou uma série de potentes socos no estadunidense que não resistiu a pressão e sem qualquer poder de defesa, foi ao solo. Usman se aproveitou e só parou de bater com a interrupção do árbitro.


Com esta difícil vitória, o nigeriano Kamaru Usman manteve o cinturão da categoria peso meio-médio e alcançou a marca de dezesseis triunfos em sua carreira profissional, enquanto o estadunidense Colby Covington interrompeu uma sequência de sete vitórias consecutivas e acrescentou sua segunda derrota em seu cartel.



Foto: Getty Images

Em um dos combates mais aguardados em Las Vegas, Amanda Nunes desafiou a temida holandesa Germaine de Randamie, em luta válida pela categoria peso-galo, em que a brasileira é a detentora do cinturão.


Depois de vencer as suas duas últimas luta ainda no primeiro round, Amanda Nunes teve extrema dificuldade com a holandesa. Desde os primeiros instantes, o combate se mostrou muito equilibrado e em alguns momentos, as lutadoras demonstravam receio de partir em busca da vitória e deixar espaço para que a adversária pudesse conectar algum golpe com maior precisão. Mas com o passar do tempo, os espaços foram aparecendo e a Leoa buscava se aproveitar para encurralar De Randamie.


Segura nos momentos em que o combate foi disputado em pé, Amanda Nunes quando teve oportunidade, buscou levar a luta para o solo para tentar conseguir a finalização, em alguns momentos conseguiu encaixar uma guilhotina e até um kata-gatame, mas atenta às investidas da brasileira, a lutadora holandesa se defendia bem na maior parte das tentativas da campeã.


No segundo e terceiro round, o desenvolvimento da luta seguiu praticamente da mesma forma, enquanto Germaine de Randamie tentava manter o combate em pé em busca de um knockout, a brasileira sempre que encontrava algum espaço, tentava levar a luta para o chão para se aproveitar da sua melhor qualidade técnica no solo e com isso, evitar também as perigosas investidas da desafiante.


Nos dois rounds finais, Amanda Nunes intensificou a sua estratégia de manter o combate no chão, percebendo a dificuldade que Germaine de Randamie demonstrava em sair da luta agarrada, na parte final da luta a brasileira não deu chances para que a holandesa pudesse aplicar seu perigoso jogo. Já cansadas, no quinto round, as duas lutadoras não conseguiam demonstrar dentro de suas principais características, a contundência necessária para definir a luta antes da decisão dos árbitros.


Ao final da disputa, a vitória por unanimidade foi dada a campeão Amanda Nunes que além de manter o cinturão da categoria peso-galo, acrescentou o décimo nono triunfo em seu cartel, já a holandesa Germaine de Randamie, que vinha de cinco vitórias consecutivas no Ultimate, perdeu pela quarta vez em sua carreira profissional.


DEMAIS RESULTADOS DO UFC 245:


Petr Yan venceu Urijah Faber por knockout no 3º round;

Geoff Neal venceu Mike Perry por knockout no 1º round;

Irena Aldana venceu Ketlen Vieira por knockout no 1º round;

Omari Akhmedov venceu Ian Heinisch por decisão unânime;

Matt Brown venceu Bem Saunders por knockout no 2º round;

Chase Hooper venceu Daniel Teymur por knockout no 1º round;

Brandon Moreno venceu Kai-Kara France por decisão unâmime;

Jessica Eye venceu Vivi Araújo por decisão unânime;

Punahele Soriano venceu Oskar Piechota por knockout no 1º round.

© 2018 WEB RÁDIO DE PRIMA. DESENVOLVIDO POR MVPMOVE

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon
  • Branca Ícone SoundCloud