Aos olhos do mundo, Santos inicia novo capítulo em sua história


FOTO: Divulgação
FOTO: Divulgação

Por: Guilherme Lesnok


Santos é um clube que leva a cidade em sua camisa. De branco, o clube mostrou ao futebol como se produz craques em série. Real Madrid e PSG compram o futebol, o Santos o cria.


Esse clube sempre mostrou atrevimento. O clube da praia, foi para o mundo. Vale lembrar que o Santos é o único time do mundo não sendo da capital nem da província a ser campeão mundial.


Não a toa, é o time mais artilheiro do mundo. Sim, esse mundo em que vemos os galácticos do Real Madrid e os Deuses do Barcelona, o Santos fez mais gols que todos eles.


O time da Vila que passou por maus bocados em jogos contra europeus é a prova viva que o futebol brasileiro precisa se reinventar. E sim, o futebol brasileiro. A nossa seleção foi goleada em casa, fez uma copa do mundo de 2018 decepcionante. Estamos atrás, é preciso mudar. E porque não iniciar essa mudança em um clube que sempre passou por barreiras, sem apoio da imprensa, com direções que saquearem o clube, muitas vezes abandonado, sustentado por filhos de terras. O apuro por algo novo está instalado no Santos. O clube não tem em seu DNA só o lado ofensivo. Tem a inovação.


Então, a contratação de Sampaoli faz todo sentido. Pela grandeza, pelo seu conhecimento, pela ousadia, pelo seu passado e pelo futuro que o espera.


Dinheiro, quando está em falta, é sempre um problema. Mas, se for pensar friamente, se o Santos fosse um clube milionário, talvez não teríamos Robinho, junto a isso, não teríamos Neymar, não seriamos a melhor base do mundo. O clube escrever a sua história em casa, criando os seus garotos desde cedo.


Por marés baixas, por linhas tortas, algumas vezes como coadjuvante, mas nunca esquecido. Veja como foi: o anúncio do novo treinador passou por Itália, Espanha, Alemanha, França, Portugal, Reino Unido, Argentina, Colômbia e Uruguai. Todos noticiaram a chegada ao clube. O jornal holandês, Telegraaft, trouxe em sua manchete “A maior marca do futebol brasileiro contrata Sampaoli”.


Este é o Santos. Alegre, audaz, ousado.


Atrevido e reverenciado.


Centenário, glorioso e, novamente, protagonista aos olhos do mundo.


Que daqui em diante não seja só o Santos de Pelé, Robinho e Neymar. Seja o Santos de Sampaoli. Chegou a hora de uma nova história.