• Bruno Nunes

AREIAS DE OURO

O Brasil ocupa uma posição intermediária quando o assunto é esportes olímpicos, nossa melhor colocação no quadro geral de medalhas em uma Olimpíada foi um décimo terceiro lugar na edição de 2016 no Rio de Janeiro. São poucas as modalidades em que nosso país pode ser considerado uma potência olímpica, somos reconhecidos no Vôlei de quadra, na Vela, no Judô, modalidades que sempre renderam medalhas. Mas não é na quadra, água ou tatame que o Brasil aparece em primeiro lugar em conquistas, e sim nas areias.


Alison e Bruno medalhistas de ouro no Rio Foto: ADREES LATIF (REUTERS)
Alison e Bruno medalhistas de ouro no Rio Foto: ADREES LATIF (REUTERS)

O Vôlei de Praia é o único esporte em que o Brasil está consagrado como maior potência olímpica em número de medalhas, são três ouros, sete pratas e três bronzes, os Estados Unidos possuem seis medalhas de ouro somando 10 no total, contra 13 do Brasil. A primeira conquista veio logo na primeira participação do Vôlei de Praia como esporte olímpico em Atlanta 96, Jacqueline e Sandra garantiram as duas primeiras medalhas da modalidade.


Ao longo dos anos, vários atletas ajudaram a tornar o Brasil uma referência no esporte como Ricardo e Emanuel, medalhistas de ouro em Atenas, Adriana e Shalda,que por duas vezes conquistaram a medalha de prata, entre vários outros. Nos jogos de 2016 no Rio de Janeiro, a maior arena já montada para o Vôlei de Praia presenciou a consagração da dupla Alison e Bruno que conquistaram o ouro sobre os italianos Daniele e Paolo.


Para Tóquio em 2020, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) espera mais conquistas, tendo em vista os resultados obtidos pelas duplas brasileira nos circuitos que integram o ciclo olímpico.


Sem dúvida essa é a “nossa praia”.