• Mathias Galdi

BELICHICK E O NÓ TÁTICO EM MCVAY

O Super Bowl não foi aquilo que esperávamos. Los Angeles Rams e New England Patriots não conseguiram marcar mais de 20 pontos combinados. O placar de 13x3 aos nordestinos dos Estados Unidos foi fora da curva. Por exemplo, as casas de apostas, em Las Vegas pra ser exato, registrou uma aposta que passou dos cinco milhões de reais, e uma outra de quase um milhão e meio. Infelizmente, ambas foram nos carneiros.


Os Rams eram a segunda equipe que mais havia pontuado durante toda a temporada regular da NFL. Nos playoffs, terminaram com uma média de um pouco acima dos 19 pontos por partida. E sua defesa, principalmente os linebackers, os quais atacam o quarterback, era, se não a melhor, uma das melhores de toda a liga. Porém, não repetiram o desempenho na final.


Em entrevista, Sean McVay contou aos jornalistas presentes o que ele estava sentindo após a derrota na noite do último domingo. Em um tom melancólico, o head coach mais novo a participar de uma final deu sinais de que poderia ter feito mais pela equipe.

McVay após o touchdown marcado pelos Patriosta. (Foto: The Athletic)

Um dos maiores responsáveis é Bill Belichik. Com uma defesa excelente contra o jogo terrestre, nem Todd Gurley II, nem C.J Andersen conseguiram incomodar tanto a equipe de Boston. Cedendo apenas 40 jardas por partida nos playoffs, Belichik terminou a pós-temporada com o melhor ataque, seja em jardas totais, terrestres ou aéreas, além de ser a segunda melhor contra a corrida.


“Eu nunca consegui nos fazer entrar em um ritmo ofensivo. Vocês sabem que não tivemos realmente nenhuma conversão de terceira descida durante todo o primeiro tempo. Eles fizeram um grande trabalho, e parecia que a qualquer momento que tivemos uma jogada um pouco positiva, acabamos tendo uma penalidade ou retrocedemos" explicou.


"Eu não fiquei nada satisfeito com a sensação que tive pelo fluxo do jogo [...] Créditos para eles, quem conseguirão fazer um bom trabalho, e eu certamente não fiz o suficiente para nós" completou o técnico dos Rams.

Um jogo de defesas não é o melhor jogo para ser acompanhado. Brady e Goff mal conseguiram lançar passes para seus recebedores. Os running-backs dos Rams, nem se fala. Era extremamente defensivo a partida disputada em Atlanta.


Para se ter uma ideia da força defensiva apresentada pelo New England Patriots, os Rams não tiveram sequer uma conversão de terceira descida no primeiro tempo inteiro. Estava apenas três a zero no fim do segundo quarto. E Gostkowski ainda havia errado um field goal anteriormente.


No fim, o chuveirinho de Brady para Gronkowski quebrou a sequência negativa do ataque, o que resultou no touchdown corrido de Sony Michel. Ainda deu tempo para vermos Zurlein errar um field goal, enterrando as chances de LA. Sem nenhum QB pontuando, Nick Foles segue sendo o último a ter pontuado em um Super Bowl, no ano passado, contra os Patriots.


Além da curiosa estatística, o placar somado de 16 pontos se tornou na menor pontuação combinada de um Super Bowl, superando o SB VII, onde o Miami Dolphins superou o Washington Redskins, por 14-7, somando 21 pontos.


Agora serão quase sete meses sem futebol americano. Setembro sempre chega, ainda mais com fortes rumores de que um jogo pode vir para o Brasil. Contudo, acredito que todos torceriam para ver uma partida como essa para matar as saudades.




© 2018 WEB RÁDIO DE PRIMA. DESENVOLVIDO POR MVPMOVE

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon
  • Branca Ícone SoundCloud