CLIMA DE DECISÃO

Grêmio e Flamengo fizeram o primeiro jogo da decisão de 180 minutos da semifinal da Copa Libertadores da América, em Porto Alegre na Arena Grêmio. A partida terminou em empate por 1 a 1. Os gols foram marcados por: Pepê para o Grêmio e Bruno Henrique para o Flamengo.

Foto: Alexandre Vidal


Os dois melhores times do Brasil atualmente foram a campo com a promessa de realizar uma grande partida e suprir todas as expectativas de ser um dos jogos mais aguardados da temporada pelos amantes de futebol.

O Grêmio sobre seus domínios é uma equipe que busca pressionar e subir a marcação, ter a posse bola e envolver seus adversário com troca de passes, e tem em Everton Cebolinha a sua válvula de escape quando o estilo de jogo de Renato Gaúcho não da muito certo durante as partidas. Já Jorge Jesus, sempre falou em suas entrevistas que seu time atua da mesma forma dentro e fora de casa, e o “MISTER”, não mentiu. O Flamengo começou a partida subindo a marcação e pressionando o Tricolor Gaúcho. Por volta dos 12 minutos da primeira etapa, o time Rubro-Negro já havia criado duas grandes oportunidades que causaram muito perigo ao gol de Paulo Victor. O domínio do Flamengo era absurdo a equipe controlava os donos da casa e fazia parecer que jogavam em casa, tamanho o controle do jogo.

Precisamos falar aqui do VAR, o quanto foi usado durante os 90 minutos de jogo. A primeira aparição foi logo aos 18 minutos da primeira etapa, quando Gabigol empurrou Kannemann na entrada da área e o juiz não viu e deu sequência ao lance, ao dar continuidade à partida e não visualizar a falta, a bola sobrou para Felipe Luís que cruzou e Paulo Victor saiu mal do gol, Everton Ribeiro ficou com a sobra de bola e chutou para os fundos da rede. Os árbitros de vídeo analisaram o lance e chamaram o juiz até a cabine, que analisou e marcou a falta no defensor Tricolor e anulou o gol. Porém, o VAR foi acionado outras duas vezes, que foi em mais um gol do Flamengo, dessa vez marcada por Gabigol em posição irregular. E o outro lance foi com Michel do Grêmio que acabou pisando de maneira mais dura no pé de Gerson, em que o arbitro só aplicou o amarelo.

Agora voltando a falar do jogo. A todos que assistiram ao primeiro tempo do Flamengo, viram que já era para a equipe Carioca ir para o intervalo vencendo, pois mostrava ser uma equipe compacta , técnica e muito inteligente em campo.

No segundo tempo a partida voltou um pouco mais equilibrada, com o Tricolor buscando jogo e tentando envolver o adversário com passes rápidos e com Luan bem mais participativo fazendo a ligação meio de campo ataque. O Mengão, até chegou ao ataque primeiro que o Grêmio, mas quem trabalhou mesmo foi Diego Alves nos chutes de cebolinha e Matheus Henrique. O Flamengo tentava voltar para o jogo após os sustos com as finalizações dos gremistas, e foi trocando passes que o time Carioca chegou ao gol. Arrascaeta levantou a cabeça e cruzou para Bruno Henrique que de cabeça abriu o placar. Para quem achou que depois do gol os Rubro-Negros iram tirar o pé, não foi dessa maneira, e a equipe continuou indo para cima criando oportunidades mas não matava o confronto. Até tentou liquidar o jogo mas Gabigol, mais uma vez impedido fez o gol de maneira irregular. Quem não faz leva, e em um contra-ataque rápido Cebolinha cruzou na área e Pepê deixou tudo em igualdade na grande decisão.

O que resta agora é espera o dia 23 para saber quem será o grande finalista e representante do Brasil na Libertadores.