• Leonardo Cruz

DECEPÇÕES NA COPA E BOAS PERSPECTIVAS DE FUTURO


Foto: Gonzalo Fuentes / Reuters

Com a derrota da Nigéria para a França na tarde de ontem (17/06) pelo placar de 1x0, em partida válida pela terceira rodada do Grupo A da primeira fase da Copa do Mundo de Futebol Feminino, o continente africano tem chances remotas de ter alguma representante nas oitavas de final da competição. As nigerianas dependem da combinação de resultados para tentar uma vaga entre as melhores terceiras colocadas, assim como Camarões que ainda pode se classificar se vencer a Nova Zelândia na próxima quinta-feira (20/06). A seleção da África do Sul, com três derrotas, já está eliminada.


O futebol africano vem evoluindo ao longo das últimas décadas, desde o início dos anos 90 quando Camarões se destacou na Copa da Itália e a Nigéria surpreendeu conquistando o ouro olímpico no futebol masculino em Atlanta vencendo Brasil e Argentina. As outras nações do continente começaram a dar mais valor ao futebol e com isso, aumentar os investimentos no esporte.


No futebol feminino, mesmo que de forma mais lenta, o crescimento deste esporte também é nítido. Presentes nas Copas do Mundo desde a primeira edição realizada em 1991, as seleções africanas mostram grande evolução. A Nigéria simplesmente disputou todas as edições do Mundial feminino tendo sua melhor colocação em 1999 quando avançou as quartas de finais, sendo eliminada pelo Brasil.


Outros países africanos com destaque aos longos dos anos no futebol feminino são Camarões, África do Sul, Gana e Costa do Marfim. Outro ponto importante para a evolução do futebol entre as mulheres na África, com certeza foi a realização da Copa do Mundo de 2010 no continente, que mesmo sendo um evento masculino, de diversas formas, trouxe incentivos e aumentou o interesse na prática do futebol a grande parte da população dos países africanos.


Mesmo com a decepção deste Mundial, as seleções africanas buscam a cada dia, aprender, crescer e quem sabe em um futuro próximo até disputar o título de um Mundial. Um passo importante para este cenário de crescimento, é a candidatura da África do Sul para ser sede da Copa do Mundo Feminina de 2023, a concorrência será pesada, mas o fato do Mundial nunca ter sido disputado no continente, pode ser um fator favorável a África e com certeza um incentivo a mais para a evolução do futebol feminino no continente africano nas próximas décadas.