• Leonardo Cruz

EU TENHO A FORÇA!


Foto: UFC Divulgação

A edição do UFC Rio 10 realizada no último sábado, 11/05, foi muito especial para os brasileiros presentes na Jeunesse Arena, pois além das lutas envolvendo os ex-campeões José Aldo e Anderson Silva, tiveram também a oportunidade de ver a disputa do cinturão válida pela categoria peso-palha entre a campeã Rose Namajunas e a brasileira Jéssica Bate-Estaca.


As sete lutas do card preliminar proporcionaram grande emoção aos fãs do UFC, quatro combates terminaram com knockout. O principal destaque foi a derrota de Rogério Minotouro para o estadunidense Ryan Spann que lutaram no peso meio-pesado.


Foto: Getty Images

O experiente lutador brasileiro iniciou o combate sendo dominado por Spann que conseguiu levar a luta para o chão logo nos primeiros segundos, mas Minotouro resistiu a pressão, se levantou e ainda tentou acertar alguns socos no adversário, mas sem ser contundente. Ryan Spann resolveu partir para a trocação e não demorou a conseguir acertar um direto no baiano que já caiu derrotado, sem demonstrar qualquer tipo de reação.


Com a vitória, Ryan Spann chega ao sexto triunfo consecutivo, o estadunidense não é derrotado no UFC há quase dois anos. Já o brasileiro Rogério Minotouro que tem 23 vitórias na carreira profissional, alcançou a marca negativa de seis derrotas nas últimas dez lutas e ainda manifestou que provavelmente irá lutar somente até o final do próximo ano.


No card principal, o ex-campeão da categoria peso-pena, José Aldo subiu ao octógono tentando recuperar o prestígio perdido após algumas derrotas que ocasionaram no seu distanciamento do cinturão. A batalha não foi nada fácil, já que o australiano Alexander Volkanovski vinha de uma invencibilidade de seis lutas no UFC.


Foto: Getty Images

Durante os três rounds, Volkanovski manteve o controle da luta, tendo o domínio do centro do octógono, com muita movimentação e sendo bastante contundente nas suas investidas, principalmente nas trocações. Aldo por sua vez, tentava encurtar a distância, mas encontrava dificuldades para aplicar seu jogo.


No segundo round, Aldo melhorou no combate, conseguindo acertar mais golpes no adversário e trabalhando bem as esquivas, mas Volkanovski cresceu nos minutos finais e tentou pressionar o brasileiro, mas sem levar muito perigo. Na volta para o round final, José Aldo demonstrou muito cansaço e tinha dificuldade para trabalhar as combinações de golpes, o australiano, melhor fisicamente teve domínio total, sendo mais agressivo e conseguindo combinar bons golpes. Nos instantes finais, Volkanovski colocou o brasileiro na grade e o castigou. Aldo tentou, mas não conseguiu sair da incômoda posição.


Ao término do duro combate, os árbitros deram a vitória por unanimidade para o australiano Alexander Volkanovski que manteve a invencibilidade no Ultimate e conquistou sua vigésima vitória na carreira. Já o brasileiro José Aldo sofreu sua quinta derrota na carreira e voltou a se distanciar da disputa pelo cinturão da categoria peso-pena.


Foto: UFC Divulgação

No evento co-principal da noite, o brasileiro Anderson Silva voltou a viver um grande drama dentro do octógono. Feliz por voltar a lutar no Brasil, Spider que lutava pela categoria peso-médio, iniciou o combate contra o estadunidense Jared Cannonier de forma bem equilibrada, com muito estudo de ambas as partes. Enquanto Cannonier tentava chutes baixos, principalmente na perna direita de Anderson Silva que demonstrava certo incômodo, e ainda alguns socos, Silva buscava acertar o oponente com chutes altos e frontais. Faltando menos de 30 segundos para o final do round, o estadunidense acertou um chute na parte interna da perna direita do brasileiro que caiu imediatamente, demonstrando sentir muitas dores no joelho. O árbitro interrompeu a luta dando a vitória para Jared Cannonier.


Após a luta, Anderson Silva informou que sofreu uma lesão no joelho direito nos dias finais da preparação para a luta e também se desculpou com seus fãs por não conseguir melhor desempenho no combate.


Esta foi a décima derrota de Spider na carreira e a segunda seguida no UFC, já o estadunidense Jared Cannonier conquistou seu décimo segundo triunfo, o segundo consecutivo no principal torneio de MMA do mundo.


Após duas decepções consecutivas, os brasileiros que lotaram a Jeunesse Arena queriam que Jéssica Bate-Estaca conquistasse a vitória e o cinturão da categoria peso-palha e foi exatamente o que aconteceu.


Foto: UFC divulgação

O primeiro round começou com a estadunidense Rose Namajunas muito à vontade no octógono, fazendo valer sua maior envergadura, conseguia conectar bons golpes na brasileira que sentia dificuldades para encurtar a distância e aplicar seu jogo. Aos poucos, Bate-Estaca se aproximava da adversária e em duas oportunidades conseguiu erguer Namajunas e jogá-la contra o chão, na primeira vez, a estadunidense se aproveitou e quase conseguiu finalizar a brasileira.


O combate voltou a ser disputado em pé e Namajunas seguiu com o domínio, rápida nos golpes e usando muita movimentação evitando assim que Bate-Estaca conseguisse encontrar a distância. No segundo round, o ritmo seguiu da mesma forma, mas a brasileira que já estava com grande sangramento no olho esquerdo conseguiu novamente se aproximar da adversária e pela terceira vez usar sua força para erguer Namajunas e jogá-la contra o solo, desta vez, a estadunidense caiu de cabeça e ficou desacordada. O árbitro interrompeu imediatamente, dando a vitória para a brasileira Jéssica Bate-Estaca, nova campeã da categoria peso-palha do UFC.


Além do cinturão da divisão, Bate-Estaca conquistou sua vigésima vitória na carreira e a quarta consecutiva no UFC, a lutadora nascida no Paraná não perde na organização há dois anos. Já Rose Namajunas que não era derrotada desde 2016, além de perder o posto de campeã, sofreu sua quarta derrota na carreira profissional.


Outros resultados do UFC Rio 10:


Card Principal:

Laureano Staropoli venceu Thiago Pitbull por decisão unânime;

Irene Aldana venceu Bethe Correia por finalização.


Card preliminar:

Thiago Moisés venceu Kurt Holobaugh por decisão unânime;

Warlley Alves venceu Sérgio Moraes por knockout;

Clay Guida venceu BJ Penn por decisão unânime;

Luana Dread venceu Priscila Pedrita por decisão unânime;

Raoni Barcelos venceu Carlos Huachin por knockout;

Viviane Araújo venceu Talita Bernardo por knockout.

© 2018 WEB RÁDIO DE PRIMA. DESENVOLVIDO POR MVPMOVE

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon
  • Branca Ícone SoundCloud