• Leonardo Cruz

EXPECTATIVA QUE SE TRANSFORMOU EM FRUSTRAÇÃO NO UFC MÉXICO


Getty Images

No último sábado (21/09), a Cidade do México foi responsável por receber mais uma edição do UFC. O card foi composto por doze luta de excelente nível, com grande expectativa para o combate principal entre o anfitrião Yair Rodríguez e o estadunidense Jeremy Stephens, válido pela categoria peso-pena.


A grande expectativa se tornou frustração aos presentes no “México City Arena”, pois logo aos 15 segundos do primeiro round, Rodríguez deu uma dedada não-intencional no olho do adversário, e mesmo após alguns minutos tentando se recuperar do acidente, demonstrava dificuldades para abrir o olho esquerdo, impossibilitando assim, a continuidade da luta. Percebendo a complicada situação, o árbitro Herb Dean decidiu encerrar o combate sem resultado, o que revoltou o público presente na Arena localizada na capital mexicana.


No único knockout do card principal, o estadunidense Steven Peterson se recuperou das suas últimas duas derrotas dentro da organização e venceu mexicano Martín Bravo no segundo round, em luta válida pela categoria peso-galo.


No round inicial, Bravo partiu para o ataque em busca da vitória, o mexicano conseguiu encontrar a melhor distância e consequentemente aplicar seu jogo, dificultando assim, todas as ações do adversário. Ainda nos primeiros cinco minutos de luta, “Toro”, como é conhecido Martín Bravo, conseguiu um knockdown, mas não obteve êxito na tentativa de finalizar o combate.


Na volta para o segundo round, o ritmo se manteve o mesmo, empolgado com o apoio do público, Bravo tentou dar um soco giratório, mas atento, Peterson se defendeu bem e no contra-golpe também aplicou um soco giratório acertando de forma brutal o mexicano. Martín Bravo já caiu sem qualquer poder de reação.


Com a vitória, Steven Peterson, que não vencia uma luta há mais de um ano, alcançou a marca de dezoito triunfos na carreira profissional, já o mexicano Martín Bravo, que vive momentos de instabilidade, sofreu sua terceira derrota consecutiva no Ultimate e se complicou dentro da organização.



Foto: Getty Images

Nas lutas válidas pelo card preliminar, destaque para a brasileira peso-galo Bethe Correia que venceu a estadunidense Sijara Eubanks por decisão unânime dos árbitros.


No round inicial, a brasileira tentou aplicar seu jogo, mas foi surpreendida pela lutadora estadunidense que para se esquivar da trocação logo levou o combate para o solo. No chão, Eubanks levou vantagem, provocando grande perigo a Bethe Correia que além de não conseguir sair da posição incômoda, se limitava a se defender.


No retorno para o segundo round, a brasileira conseguiu encontrar a melhor distância, aplicando boas combinações de socos e também evitando que a estadunidense tentasse a derrubada. Aparentando certo cansaço, Eubanks demonstrava dificuldades para reagir rapidamente às tentativas de Correia que se mostrava muito agressiva na trocação.


O round decisivo começou com Bethe Correia controlando o centro do octógono e combinando ótimas sequências de jabs na oponente. Sem muita força para atacar, Eubanks tentou sem êxito derrubar a brasileira. Nos segundos finais, a estadunidense se aproveitou da guarda baixa de Correia e conseguiu conectar bons golpes, mas que foram bem absorvidos pela lutadora paraibana.


Bethe Correia, que não vencia uma luta no UFC há mais de três anos, alcançou a marca de onze triunfos na carreira profissional, já a estadunidense Sijara Eubanks ainda não conseguiu emplacar uma boa sequência de vitórias, agora são quatro derrotas em oito lutas em seu cartel.



Foto: Getty Images

Em outro combate de destaque no card preliminar, o canadense Kyle Nelson venceu o mexicano Marco Polo Reyes por knockout ainda no primeiro round, em luta válida pela categoria peso-pena.


A luta começou em um ótimo ritmo, os dois lutadores buscando a trocação para surpreender o adversário. Nelson era mais contundente em suas tentativas de golpear o rival, em um desses momentos, o canadense encurralou Reyes contra as grandes, aplicou uma forte joelhada e uma cotovelada, buscando se defender, o mexicano acabou se expondo e deu espaço para Kyle Nelson encaixar uma dura sequência de socos, obrigando o árbitro a interromper o combate.


Com a vitória, o canadense Kyle Nelson se recuperou das duas últimas derrotas sofridas e ainda alcançou o décimo terceiro triunfo na carreira profissional. Em contrapartida, o mexicano Marco Polo Reyes sofreu sua terceira derrota consecutiva no Ultimate, já são sete revezes em seu cartel.


OUTROS RESULTADOS DO UFC MÉXICO:


CARD PRINCIPAL:

Carla Esparza venceu Alexa Grasso por decisão majoritária;

Brandon Moreno e Askar Askarov empataram;

Irene Aldana venceu Vanessa Melo por decisão unânime.


CARD PRELIMINAR:

José Quiñonez venceu Carlos Huachin por decisão unânime;

Angela Hill venceu Ariane Sorriso por knockout no 3º round;

Sergio Pettis venceu Tyson Nam por decisão unânime;

Paul Craig venceu Vinícius Mamute por finalização no 1º round;

Claudio Puelles venceu Marcos Dhalsim por decisão unânime.