HÁ MUITAS MANEIRAS E TÁTICAS DE SE JOGAR "BOLA"

Nesta década o futebol mundial sofreu com algumas mudanças com relação à alguns anos anteriores. Como um exemplo muito claro: os técnicos ficaram mais importantes do que jogadores, e isso se dá por alguns motivos. Antigamente, tínhamos jogadores mais técnicos atuando, eles eram bem mais decisivos, faziam gols importantes. O atual momento é bem diferente, pois se você consegue montar uma equipe melhor taticamente, você consegue títulos. Isso não é ruim, pelo contrário é até bom, pois são maneiras de se resolve jogos e ganhar troféus, e não ficar dependendo de jogadores.


Foto: Alexander Demianchuk/Getty Images


Falando sobre o atual momento, podemos dizer que os técnicos estão tendo um papel mais do que fundamental. É evidente que nas décadas de 70, 80 e 90 os treinadores eram importantes e faziam o seus times darem espetáculo dentro de campo: São Paulo de Telê, Barcelona de Johan Cruyff, entre outros. O diferencial deles é que todos contavam muito com a genialidade de muitos atletas de seus respectivos times.


Agora um comandante que chegou e conseguiu realizar uma certa revolução na maneira do time jogar foi Pep Guardiola. Antes do treinador chegar ao time espanhol, o Barça dependia muito de Ronaldinho, e após a saída do craque brasileiro, o time obteve uma queda em suas atuações. Guardiola, chegou e em pouco tempo conseguiu implementar suas ideias e ter um estilo de jogo definido e muito bem praticado por seus atletas. Não demorou muito e os resultados e as atuações começaram a vir. Os títulos para muitos era apenas uma questão de tempo. Logo em sua primeira temporada comandando o time do Barcelona, ele conseguiu 6 títulos: Copa do Rei, Campeonato Espanhol, Supercopa da Espanha, Liga dos Campeões da UEFA, Supercopa Europeia e pôr fim do Mundial da FIFA. Ele conseguiu superar grandes ex-treinadores, com muitos recordes e prêmios.


Foto: Lluis Gene/AFP


Foi a partir desse momento que o Mundo futebolístico, começou a pensar que havia só uma maneira de se jogar futebol. Porém, as coisas não são bem assim, há muitas maneiras de se jogar, sempre haverá muitas táticas, formas e jogadores para fazerem a diferença no time. Aquele espetacular time do Barça (2009-2012) tinha Messi, (para muitos o melhor jogador de todos tempos) Xavi, Iniesta, Puyol, Dani Alves e outros jogadores espetaculares. Lógico, Pep se motrou ser um “Gênio” no comando de sua equipe. Guardiola, voltou a usar o Tik-Tak, que foi muito usado na seleção da Holanda, mais conhecida como “Carrossel Holandês” que tinha como jogador Johan Cruyff, que chegou a usar este método no Barça nos tempos de técnico.


Segundo o próprio, ele se inspirou na Seleção Brasileira de 1982. O que era nítido para quem acompanhava os jogos, é que ele até tinha sim uma base no time de 82, mas ele conseguiu com sua visão e ideias evoluir aquela prática de jogo. Era um time muito organizado, e sabia bem o que fazer quando entrava em campo. Os catalães, priorizavam a posso de bola, trocava muitos passes rápidos procurando sempre envolver o adversário, além do mais os atletas não guardavam posições em campo. Óbvio que para ter este padrão durante os jogos, o treinador deve obter pelo o menos alguns jogadores muito bons para realizar este pensamento de jogo. Para muitos que acompanhavam aquele time de perto, parecia que estavam em um concerto musical, pois era um espetáculo, e para muitos foi algo que chamam de futebol perfeito.


Muitas equipes, que jogaram diversas vezes contra este Barcelona, não sabia como atuar e na grande maioria das vezes saia com uma goleada no placar. Porém, alguns times que jogavam de uma maneira não tão vistosa conseguiu ter grandes êxitos, como: Inter de Milão, Chelsea e até mesmo o Real Madrid. Esse clubes, sabiam que não dava para jogar de qualquer maneira, e por isso montavam suas estratégias. A grande maioria, se defendia quase que os 90 minutos e usava contra-ataques para tentar vencer. E foi essa ideia usada por os times que citei à cima.


Muitos técnicos adotaram até hoje o estilo de jogo de Guardiola e tiveram grandes triunfos e títulos em suas respectivas equipes. Outros que tiveram essa postura já não obtiveram grandes sucessos, por alguns motivos: como a falta de apoio da diretoria, torcida e jogadores não tão bons para desempenhar um futebol tão vistoso.

Mas o questionamento que fica é: existe uma maneira de jogar “bola”? A resposta é não.

O último campeão de uma Copa do Mundo pelo Brasil, tem até hoje um outro pensamento de jogo. Um raciocínio mais pragmático. Onde suas equipes são conhecidas como ter uma defesa sólida e ser forte em contra-ataques e boa bola parada. Felipão, ganhou o último Brasileirão com muitos da imprensa dizendo que sua equipe praticava um futebol feio.

Mas temos outros exemplos de times que consegue grandes vitorias, jogando de uma outra forma, com uma linha de pensamento em que a defesa sempre tem que ser sólida. Boca e River, chegaram a uma final de Libertadores com desempenhos totalmente diferentes. O Boca, mais conhecido por ter sempre jogadores aguerridos e marcadores, já o River é aquele futebol mais bem jogado e leve.


A Juventus na Itália, chegou a finais de Liga dos Campeões e ganhou os últimos 8 Scudettos, com uma defesa muito forte. O Napoli em um momento desses títulos das Juve, praticava até um futebol melhor, mas quem sempre ficava com os troféus era a La Vecchia Signora.


Um exemplo dos tempos de hoje em nosso país, é o Fernando Diniz, conhecido por tentar adotar a maneira de jogo de Guardiola. Mas aqui no nosso futebol até o momento não está funcionando muito e ele acabou sendo muito julgado. No Brasil, temos grandes equipes e a maioria delas joga de maneira mais pragmática. Duas grandes forças atualmente são Palmeiras e Flamengo (os dois times que mais investem em contratações) estão brigando por títulos todo ano com maneiras diferentes de jogar. O que fica de reflexão é que temos que respeitar os estilos de cada técnico, sem ficar menosprezando ou ridicularizando na imprensa, igual muitos fazem.


Podem fazer suas análises, gostar ou não gostar. Agora demonstrar nojo sobre como é a forma de jogo dos times, igual muitos jornalistas fazem é saber que eles não respeitam e não entende da essência do esporte mais popular é algo bem triste.