HORA DE ARRUMAR A CASA


Foto: Divulgacao / saopaulofc.net (Rubens Chiri)

Após uma eliminação precoce e vexatória na Copa Libertadores da América, diante do Talleres ainda na fase preliminar, e da derrota para o maior rival Corinthians fora de casa no último domingo, 17, o São Paulo anunciou um nome que, na teoria, promete trazer esperança e evolução ao elenco. Na manhã desta segunda, 18, o técnico Cuca foi apresentado no CT da Barra Funda, concedendo entrevista coletiva e falando a respeito da fase do time e das projeções após a sua chegada.


Para colocar a mão na massa o novo comandante terá que esperar até o mês de abril, por ordem médica. Mas isso não o impediu de trazer palavras de motivação para a torcida tricolor. Ele fará sua segunda passagem pelo clube paulista; na primeira, foi semifinalista de Libertadores em 2004, além de ajudar na montagem do elenco do ano seguinte, que posteriormente ganharia quase tudo a que tinha direito.


Agora a situação é bem diferente. A instituição atravessa sua maior crise na história, que já dura quase uma década. Após a saída do ex-presidente Juvenal Juvêncio (morto em 2015) no ano de 2014, passaram pelo clube Carlos Miguel Aidar e Carlos Augusto de Barros (ou Leco) - atualmente no poder. Nenhum dos dois foi capaz de resgatar as "glórias do passado" tão almejadas pelos torcedores do tricolor; a administração é péssima e chega a ser vergonhosa, motivo de chacota por parte de times e torcidas rivais, além de alvo de diversas críticas por parte da crônica esportiva.


Talvez um novo treinador - mesmo com o prestígio de Cuca - não seja a solução, mas pode se tornar um caminho para voos maiores. Os são paulinos precisam ver novamente um time aguerrido e ambicioso pela vitória a cada jogo, seja valendo a classificação ou apenas três pontos na tabela de uma competição que se inicia. Regressar o espírito vencedor, e claro, a qualidade e entrosamento de uma equipe competitiva serão os maiores desafios do técnico Cuca, a tarefa não será fácil. Ele precisará de muita saúde e disposição para mostrar seu trabalho (e de tempo para isso), mas os jogadores precisam corresponder à altura, ou nada mudará nos lados do Morumbi.