• Andréa Lima

Imponentes e cheias de charme!

Fonte: Amanda Honel


A arquibancada alviverde tem se tornado cada vez mais charmosa e imponente. É notório o aumento do público feminino no estádio palestrino, aonde a mulherada vem mostrando que entende sim de futebol e que cantar e vibrar são com elas também.


Nos últimos tempos com o avanço da tecnologia, a comunicação tornou-se muito mais rápida e fluida, o que possibilitou uma conexão maior de pessoas e uma troca instantânea de informações. Com as novas ferramentas oferecidas, a mulherada tem feito valer sua voz na arquibancada. Utilizando-se muitas vezes do Whatsapp, Instagram, Facebook, dentre outras redes sociais, elas tem se unido em prol de incentivar outras torcedoras a frequentar o estádio e apoiar o Verdão.


Atualmente, existem diversos movimentos femininos voltados para as torcedoras, dentre eles o VerDonnas criado recentemente, já possui uma grande expressão entre as torcedoras alviverdes, com mais de 8 mil seguidores no Instagram e mais de 800 participantes nos grupos do Whatsapp. De acordo com Amanda Honel uma das dez organizadoras do VerDonnas, o movimento surgiu a partir da consternação mediante ataques sofridos por uma torcedora palmeirense dentro do metrô, e por isso o objetivo do movimento é ajudar, acolher e incentivar as mulheres dentro e fora do estádio a torcer cada dia mais.


Ainda de acordo com Amanda, o movimento possui apoio de diversas páginas palmeirenses, de lojas e bares que cedem espaços para que elas possam realizar o pré-jogo, bem como uma exposição considerável na mídia, inclusive, a mesma relata o recebimento de um convite da FPF – Federação Paulista de Futebol , para o movimento participar de uma mesa redonda, no entanto, lamentam a falta de apoio do clube palmeirense até o momento.


O movimento acredita que o primeiro passo foi dado, e que houve um avanço considerável com relação ao preconceito sofrido pelas mulheres nos estádios, no entanto, elas acreditam que a caminhada ainda é longa e que há muito a ser feito e conquistado. Relatam ainda, que a rivalidade com as torcedoras dos demais times fica apenas dentro das quatro linhas do campo, e que fora do estádio impera o respeito e a coletividade.


Essa crescente de movimentos femininos de torcedoras, além de proporcionar o surgimento de novas amizades, confirma também, que o preconceito ainda existe e que é um dos fatores preponderantes da ausência feminina nos estádios, onde muitas vezes as mulheres não se sentem seguras em ir aos jogos sozinhas, ou sem uma companhia seja feminina ou masculina. Essa bandeira não pode ser apenas das mulheres, mas sim de todos que buscam a igualdade dos direitos.


Fonte: Amanda Honel