• Bruno Nunes

INDEFINIÇÃO EM MONZA


Foto: Zak Mauger/ FIA
Foto: Zak Mauger/ FIA

Um dos mais tradicionais circuitos da Fórmula 1 corre o risco de ficar de fora da próxima temporada da categoria. O GP da Itália, realizado em Monza desde 1950, está sem contrato com a Liberty Media após o evento deste ano, o que significa que a participação do circuito para a próxima temporada de 2020 ainda não está confirmada.


Monza precisa de 60 milhões de euros em financiamentos do governo para manter seu lugar no calendário da Fórmula 1 e concluir uma série de renovações na pista. Entre essas renovações estão a modificação de seu traçado com a remoção de uma chicane para tornar o traçado italiano ainda mais veloz. Estão previstos também reparos e alguns trabalhos para renovar o quase centenário circuito.


Falando em um evento nesta semana, Angelo Sticchi Damiani, presidente do Automobile Club d’Italia (ACI), responsável pelo circuito, pediu ao governo que forneça o financiamento necessário para concluir os trabalhos.


“É uma pista antiga e está perto de atingir 100 anos. A maneira correta de chegar a essa data é ter o circuito até no padrão de sua história”. disse Angelo Sticchi


O circuito de 5.793 metros já foi palco de grandes vitórias brasileiras, Fittipaldi, Piquet, Senna e Barrichelo já subiram no lugar mais alto do pódio no tradicional traçado. Monza tem como principal característica ser um dos circuitos mais veloz da Fórmula 1 devido as suas longas retas que mantem a aceleração sempre em alta. A volta mais rápida da pista pertence ao finlandês Kimi Raikkonen que em 2018 fez a pole com um tempo de 1min 19s 119.



Monza é uma das várias corridas européias sem contrato após a temporada de 2019, junto com Alemanha, Espanha e Grã-Bretanha.


Circuito de Monza
Circuito de Monza