• Luís Santana

JAMES HARDEN- A MÁQUINA DE FAZER PONTOS


Foto: Bob Levey/Getty Images


Uma das maiores estrelas da NBA, James Harden chamou toda a responsabilidade para si e tem feito atuações monstruosas no comando do Houston Rockets. Mesmo sem o Chris Paul e Capela, que são outros dois jogadores importantíssimos para o jogo do Rockets, Harden não deixou sua equipe cair na tabela e muito menos sair da zona de playoffs, ganhando a maioria dos jogos praticamente “sozinho”.

James Harden hoje sem sombra de dúvidas ocupa o Top-5 de melhores jogadores da liga, não seria exagero dizer que ocupa o Top-3, e há quem diga que ocupa até mesmo o Top-1 nos dias atuais. Com um poder ofensivo extremamente forte, um Q.I de basquete altíssimo para saber comandar uma equipe e distribuir o jogo, o atual MVP vem forte para manter esse título no final da temporada.

Há algum tempo, o “Barba”, como foi apelidado, era muito criticado por não exercer uma boa defesa, era alvo principal para os ataques adversários. Quesito em que ele melhorou muito, principalmente dentro do garrafão, apesar de seu tamanho, ele tem defendido muito bem os “grandalhões” adversários, contribuindo muito para a defesa do time, fazendo uma boa defesa no arremesso ou roubando a bola dos “big men” ou de seus devidos “matchups”.

Na noite do último sábado (2), Harden anotou 43 pontos na vitória diante o Utah Jazz, e chegou à incrível marca de 26 jogos seguidos com pelo menos 30 pontos. Feito que somente o lendário Wilt Chamberlain conseguiu, quando no começo da década de 60, sua maior sequência de 30 pontos, chegou a inacreditáveis 61 jogos.

Nesses 26 jogos, Harden possui médias de 41,9 pontos, 8 rebotes, 8,03 assistências e 2,3 roubos de bola por jogo. Com aproveitamento de 43,66% nos arremessos de quadra, 36,77% nas bolas de 3 e 89,04% na linha do lance livre. E além disso, o Barba lidera a NBA na média de pontos, sendo 36,3 pontos por jogo, e ocupa a 5ª posição no ranking de assistências, com 8,1 por jogo.



Foto: Scott G Winterton/Deseret News


Há quem questione todo esse poderio ofensivo pela quantidade de faltas que ele sofre durante o jogo, e consequentemente, indo por muitas vezes à linha de lance livre. Quando foi perguntado sobre como ele via essa rejeição de alguns torcedores rivais e haters, James Harden apenas solicitou que se caso não quisessem que ele cobrasse tantos lances livres durante o jogo, basta não cometerem faltas em seus arremessos.

Algumas faltas são questionáveis mesmo, assim como várias que são marcadas em todos os jogos da NBA, afinal, não é de hoje que a arbitragem toma atitudes equivocadas e complicando o espetáculo. Mas o fato é que, não são os jogadores que apitam, e se apitam, o que resta ao jogador é apenas cobrar os lances livres e aumentar a pontuação de sua equipe. Não há como culpar o jogador em si por isso.

Além de liderar o ranking de média de pontos, até o dia de hoje, Harden também lidera a corrida em busca do MVP, e diria que essa liderança é absurdamente isolada. Se alguém fizesse a pergunta de quem seria o MVP até o final do ano passado, eu diria que seria o Antetokounmpo, por liderar o time com uma das melhores campanhas da liga e por suas grandes atuações. Mas antes da volta do CP3, James Harden não só liderava o time, como também era o time, era o Rockets com quase todas as posses de bola no ataque passando por suas mãos. Se tudo terminar como o previsto, o Barba terá mais um troféu de MVP em sua prateleira.