• Leonardo Cruz

JIU-JITSU, ARTE MARCIAL SECULAR


Foto: UFC Divulgação

O Jiu-Jitsu é uma arte marcial que vem adquirindo cada vez mais adeptos no Brasil e no mundo, com origem ainda controversa, os historiadores creem que a maior probabilidade é que sua proveniência tenha sido no Japão. Esta modalidade de luta agarrada chegou ao Brasil há mais de cem anos, em 1915, trazida ao país pelo judoca japonês Conde Koma que é até hoje conhecido como o “pai” do Jiu-Jitsu brasileiro.


Não é possível falar do Jiu-Jitsu aqui no Brasil sem lembrar-se da família Gracie, aliás, estas duas histórias se confundem. Carlos Gracie foi o primeiro membro da família a ter contato com esta arte marcial, seu professor foi Conde Koma, que por ser amigo de seu pai, Gastão Gracie, aceitou o desafio de ensinar Carlos as técnicas para que o garoto aprendesse a se defender.


Logo, Carlos Gracie levou seus irmãos para treinar também, o estilo de luta caiu tanto no gosto dos irmãos Gracie que no ano de 1925 fundaram sua própria academia de Jiu-Jitsu. Ao longo desses anos, geração, pós geração, os Gracie vêm desenvolvendo cada vez mais esta arte marcial, e recebem reconhecimento mundial por toda dedicação a esta modalidade de luta.



Foto: Autor Desconhecido

A principal característica do Jiu-Jitsu é o fato de ser praticado no chão, baseia-se no equilíbrio, nas articulações corporais e nas alavancas. Um dos objetivos dos lutadores é derrubar seu oponente no chão e consequentemente, imobilizá-lo, ou seja, sem a necessidade de machucar seu adversário. Utiliza-se apenas as partes de seu corpo, não podendo se valer de qualquer tipo de objetos para esta prática. Os praticantes de Jiu-Jitsu utilizam kimonos como vestimenta e as lutas são realizadas em tatames que podem ter medidas entre 64 a 100 metros quadrados.


Como toda arte marcial, o Jiu-Jitsu proporciona diversos benefícios para as pessoas que buscam sempre manter um estilo de vida saudável, como as sequências dos movimentos que auxiliam na parte cardiorrespiratória, exercícios aeróbicos e alongamentos que contribuem para o funcionamento do metabolismo, além do rápido emagrecimento, do aumento da auto-estima e maior disposição para executar todas as atividades da difícil rotina das pessoas.


Atualmente, o Jiu-Jitsu é praticado em quase todas as academias do Brasil, e tem adeptos desde pessoas que querem perder peso até competidores de alto nível que representam o nome de nosso país em grande parte das nações ao redor do mundo não somente em competições exclusivas de Jiu-Jitsu, mas principalmente em disputas de MMA, em que os competidores necessitam ter grande domínio das mais diversas artes marciais para ter destaque nos torneios.


No UFC, maior organização de MMA do mundo, ao longo da história, diversos lutadores demonstraram toda sua habilidade, capacidade e técnica no Jiu-Jitsu para vencer lutas contra poderosos oponentes e conquistar os cinturões das mais diversas categorias.


O brasileiro Charles do Bronx, que atualmente luta na categoria peso-leve, é o atual recordista de finalizações dentro do UFC com treze triunfos. Em setembro do ano passado, ao vencer Christos Giagos, no UFC Fight Night 137, ele ultrapassou Royce Gracie, um dos maiores nomes da história do Jiu-Jitsu e antigo dono do recorde.



Foto: Getty Images

Outro brasileiro que vem marcando seu nome na história do Ultimate com o seu Jiu-Jitsu praticamente perfeito é o também brasileiro Demian Maia que tem dez finalizações no UFC e mesmo nunca tendo conquistado o cinturão, é um dos atletas mais respeitados no mundo das artes marciais.


Ao longo da brilhante carreira Demian finalizou nomes de peso no UFC como Carlos Condit, Chael Sonnen e mais recentemente Lyman Good em fevereiro deste ano no UFC Fight Night 144, luta esta em que o brasileiro alcançou a marca de dez vitórias por finalização em sua trajetória no Ultimate empatando com Royce Gracie.


Alguns lutadores também se destacaram como grandes finalizadores na história do UFC utilizando-se das técnicas do Jiu-Jitsu, como Frank Mir, Kenny Florian e Nate Diaz que em 2016, no UFC 196, venceu o polêmico irlandês Conor McGregor com um estrangulamento no 2º round.



Foto: Getty Images

Uma das finalizações mais marcantes da história do UFC aconteceu há quase dez anos, na edição 117 da organização, quando o brasileiro Anderson Silva, um dos maiores lutadores de MMA de todos os tempos e que não tem o Jiu-Jitsu como uma de suas especialidades, superou o estadunidense Chael Sonnen ao aplicar um triângulo nos minutos finais do combate.


Esta edição do UFC foi uma das mais aguardadas pelo público amante das artes marciais, pois Chanel Sonnen ultrapassou todos os limites de provocação, chegando ao ponto extremo de ofender a família do brasileiro. Durante a luta, Silva foi duramente castigado pelo seu adversário em praticamente todos os cinco rounds e mesmo extremamente desgastado, encontrou forças para vencer e manter o cinturão da categoria peso-médio da organização.

© 2018 WEB RÁDIO DE PRIMA. DESENVOLVIDO POR MVPMOVE

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon
  • Branca Ícone SoundCloud