• leandrocontato1251

MAESTRO JOÃO CARLOS MARTINS, TORCEDOR FÁNATICO DA PORTUGUESA, EM AGOSTO O CLUBE COMPLETA 101 ANOS.

Atualizado: Ago 22


O que dizer da portuguesa, que nos tempos antigos vivia de glória, títulos e estádio lotados, enfrentando grandes clubes do futebol brasileiro. Com troféus de campeonato Paulista até campeonatos nacionais, grandes revelações do futebol brasileiro como Zé Roberto, Pedro Geromel, Everton Ribeiro entre vários outros nomes.


Um time badalado da época, que encantava a todos, uma equipe que sempre colocava muita dificuldade em seus adversários, a equipe rubro verde enchia de brilho durante toda sua história, desde a fundação até o ano de 2013, quando entrou em decadência após uma punição do tribunal desportivo, por uma suposta escalação irregular que não poderia acontecer, desde então a portuguesa só caiu, em vários aspectos na parte financeira, dívidas, leilão de estádio e hoje não configura mais no cenário Nacional, um time que luta para algum dia voltar ter um brilho.


Mesmo nesse cenário existe um torcedor de 81 anos, chamado João Carlos Martins, popularmente maestro. Mesmo o time em uma situação muito ruim, o maestro tem um amor incondicional pela equipe além de haver uma placa de torcedor símbolo da lusa ao lado de seu outro amor, o piano.


O pianista sempre esteve presente na história da lusa, desde a infância, após um fato curioso, quando atingido por uma bola no campo, foi prontamente socorrido desde aquele momento ele disse que o time de seu coração seria a portuguesa.

Nos bastidores o maestro efetuava ligações aos jogadores da temporada 2013, com palestras antes de cada partida para ajudar a equipe a escapar do rebaixamento, Mas uma disputa no tribunal concretizou a queda da lusa para divisão inferior, DESDE então caiu em decadência.


Mas as memórias do maestro em um passado distante, nos anos 50, dizia que foi o melhor time de todos os tempos, algo que brilhava os olhos com muitos craques em campo.

Em homenagem ao clube de coração fez até um concerto, chamado, uma casa portuguesa, um ritmo lento, para expressar romantismo que carrega o símbolo do time, também fez um concerto no gramado do Canindé.


Uma grande lembrança que lhe fez chorar foi em 1996, naquele tempo ele acompanhou a partida pelo telefone ligado, na época ligação internacional era muito caro, a conta venho um absurdo além do time perder a partida que disputava, perdendo o título do brasileiro.

Mas um fato que faz o maestro de 81 anos acreditar em um possível renascer da cinzas é o fato de comparar a sua vida pessoal, ele diz" após 24 cirurgias, ser noticiado em 180 países, se eu consegui a portuguesa também consegue ".


Assim como o maestro e vários outros torcedores a saudade é grande mas o amor eterno.