• Leonardo Cruz

MAIS UMA VÍTIMA NA LISTA DE MAX HOLLOWAY


Foto: Getty Images

A edição 240 do UFC realizada no último sábado, 27/07, na cidade de Edmonton, localizada no Canadá, proporcionou ao público presente no “Rogers Place” onze excelentes lutas com direito a disputa do cinturão da categoria peso-pena entre Max Holloway e Frankie Edgar e o retorno da brasileira Cris Cyborg ao octógono após perder para Amanda Nunes no UFC 232.


No primeiro knockout da noite, em luta válida pela categoria peso-pena, Hakeem Dawodu venceu o japonês Yoshinori Horie nos minutos finais do terceiro round.


No início do combate o canadense teve muitas dificuldades, Hori dominou o centro do octógono e controlou a distância, colocando Dawodu em situação muito complicada. Com isso, o lutador japonês ficou extremamente tranquilo para aplicar seu jogo e conectar bons golpes no adversário durante todo o round.


Na segunda parte da luta, Dawodu se recuperou e começou a encontrar a melhor distância, colocando pressão no japonês e equilibrando o combate. Na volta para o terceiro round, o domínio do canadense foi total, mantendo Horie sob seu inteiro controle . Nos minutos finais, Hakeem Dawodu conseguiu aplicar uma dura combinação de socos e joelhadas, castigando severamente o adversário que não demonstrava poder de reação, até que o lutador canadense conseguiu acertar um duro chute alto, derrubando imediatamente Yoshinori Horie.


Esta foi a terceira vitória consecutiva do canadense Hakeem Dawodu dentro da organização e a décima na carreira. Já o japonês Yoshinori Horie perdeu pela segunda vez nas últimas quatro lutas e vive momentos de instabilidade na carreira profissional.



Foto: Getty Images

Quem não se deu bem foi a brasileira Sarah Frota que foi derrotada por knockout pela canadense Gillian Robertson no segundo round, em disputa pela categoria peso-mosca.


Dominada desde o início da luta, a brasileira demonstrou ter grande dificuldades para se adaptar ao estilo de luta de Robertson que levou o combate ao solo e manteve Frota sob seu controle durante os cinco minutos do primeiro round.


Na volta para a segunda parte da luta, Sarah até tentou modificar o panorama, mas não resistiu e foi levada novamente ao chão, desta vez mais cansada, teve dificuldades para controlar a boa movimentação da canadense que não teve trabalho para conseguir a montada e a partir daí, começou a castigar a brasileira duramente com socos e cotoveladas até a interrupção do árbitro da luta.


Com este triunfo, a canadense Gillian Robertson chega a segunda vitória consecutiva e a sétima na carreira profissional. Em contrapartida, a brasileira Sarah Frota sofreu sua primeira derrota na categoria peso-mosca e já acumula duas derrotas em seu cartel.



Foto: UFC Divulgação

No co-evento principal da noite, a brasileira Cris Cyborg se recuperou da traumática derrota para Amanda Nunes e venceu a canadense Felícia Spencer por decisão unânime dos árbitros e reencontrou o caminho das vitórias que sempre marcaram sua brilhante carreira.


O combate foi muito duro desde os primeiros instantes, Spencer acertou uma forte cotovelada, provocando um profundo corte na testa da brasileira que não se intimidou e partiu para cima, aplicando seu agressivo jogo, com boas combinações de golpes. A canadense tentava diminuir a distância para tentar levar o combate para o solo, mas sem obter muito êxito.


No segundo round, o ritmo de Cyborg aumentou, controlando o centro do octógono, a lutadora brasileira demonstrava melhor condicionamento físico e a cada momento pressionava mais a adversária para tentar terminar a luta o mais rápido possível.


Na volta para o round final, o ritmo da luta seguiu da mesma forma, Spencer mesmo cansada tentando aplicar seu jogo, mas tendo dificuldades para sair da pressão da brasileira que mesmo chegando ao final da luta, não demonstrava desgaste físico e atacava a adversária com cada vez mais ímpeto, mas sem a contundência necessária para conseguir o knockout.


Ao final da luta, os árbitros deram a vitória para a brasileira Cris Cyborg por unanimidade. Agora ela ostenta um cartel com impressionantes vinte e uma vitórias, já a canadense Felícia Spencer sofreu sua primeira derrota na carreira profissional.



Foto: Getty Images

Na luta mais aguardada do UFC 240, o campeão Max Holloway teve dificuldades, mas confirmou o favoritismo e venceu Frankie Edgar por decisão unânime e manteve o cinturão da categoria peso-pena.


O round inicial foi extremamente equilibrado, Edgar não se intimidou e usou a movimentação para confundir as ações do campeão que dominava o centro do octógono na caça ao adversário. Durante toda a parte inicial da luta, os dois lutadores souberam utilizar muito bem as combinações de socos, empolgando o público presente no “Rogers Place”.


O segundo round voltou com o mesmo panorama do anterior, com o passar do tempo, Holloway tentou ameaçar uma pressão buscando desestabilizar o adversário. Os golpes do campeão começaram a entrar com mais frequência, algo que gerava muito incômodo a Edgar.


Nos outros dois rounds, percebendo a desvantagem na trocação, Frankie Edgar mudou a estratégia e tentou por diversas vezes levar o combate para o chão, mas na maior parte das vezes, Holloway conseguiu defender bem as tentativas. Na disputa em pé, o campeão castigava Edgar com jabs e cruzados potentes.


Na última parte da luta, já em grande vantagem na pontuação, o campeão Max Holloway não só administrou com autoridade, as investidas de Edgar, como ainda levava muito perigo com suas ótimas combinações de socos e chutes que minavam a resistência do desafiante.


Ao final do combate, os árbitros confirmaram a vitória do havaiano Max Holloway que manteve o cinturão da categoria peso-pena e ainda conquistou o seu vigésimo primeiro triunfo na carreira profissional. Já Frankie Edgar, perdeu pela sétima vez na carreira, confirmando o mal momento, são três reveses nas últimas seis lutas pelo UFC.


DEMAIS RESULTADOS DO UFC 240


CARD PRINCIPAL:

Geoff Neal venceu Niko Price por knockout no 2º round;

Arman Tsarukyan venceu Olivier Aubin-Mercier por decisão unânime;

Krzysztof Jotko venceu Marc-Andre Barriault por decisão dividida.


CARD PRELIMINAR:

Vivi Araújo venceu Alexis Davis por decisão unânime;

Gavin Tucker venceu Seung Woo Choi por finalização no 3º round;

Deiveson Figueiredo venceu Alexandre Pantoja por decisão unânime;

Erik Koch venceu Kyle Stewart por decisão unânime.