• Guilherme Morais

Merci, Arsène Wenger


Foto: Reprodução Instagram @arsenal

Hoje se encerra um ciclo. Hoje se encerra uma história. Depois de quase 22 anos no cargo de técnico do Arsenal, o clube inglês anunciou nesta sexta-feira o desligamento do treinador Arsène Wenger no fim da temporada. A era Wenger tem validade, como muitos já torciam e esperavam.


O treinador francês chegou ao Arsenal em 1996 e revolucionou o futebol inglês. Sim, foi o futebol inglês. Para quem estava acostumado com um futebol chato, truncado, sem jogadas diferentes, sem habilidades, começava a se acostumar com uma nova era chamada Wenger.

O Arsenal não ganhava um título nacional fazia um tempo e aguardava a chegada do seu novo comandante para mudar esta história, mas o inicio não foi tão fácil. Foram mais alguns anos de espera até a filosofia dele ser entendida por todos, inclusive diretoria, que acreditava muito no seu potencial e bancou a cada temporada fracassada, a sua permanência.


A conquista do título inglês, tão sonhada por todos os torcedores “Gooners”, do jeito que foi, de forma invicta, trouxe um algo especial para o treinador. A magia do futebol bonito inspirava novos comandantes.


Nos últimos anos começaram a aumentar as criticas diante do seu trabalho no Arsenal, por várias eliminações na Champions League, não conseguir acompanhar o ritmo dos seus rivais no torneio nacional inglês e ficar sempre se segurando na base e nas conquistas da FA Cup. Pouco para quem já chegou a bater de frente com gigantes da Europa e ir a uma final de Champions com mais chance de título do que o próprio Barcelona.


A insistência de Wenger em sempre apostar na base e não usar o dinheiro que o clube tem, que é muito, para fazer contratações mais consagradas, acabou irritando mais a torcida. A pressão já não era mais suportável. Porém o treinador sempre teve a defesa da diretoria, já que ele mudou a história do clube e eles eram muito gratos ao Wenger.


Por mais que a mudança seja necessária e bem tardia, todos somos gratos por tudo o que você fez, Wenger. Por tudo que transformou o futebol “Gunner”. Por ser quem foi para a história do clube. Wenger se tornou uma lenda, Wenger é a história do Arsenal.


“Estamos ao seu lado, nosso amor não podemos esconder, nossos corações estão abertos, para te incentivar durante o caminho.“


Merci, Arsène.