• Guilherme Amendola

NO PACAEMBU, SÃO PAULO VENCE A PRIMEIRA NO COMANDO DE DINIZ

Depois de ficar três jogos sem vencer dentro de casa, o São Paulo foi ao Pacaembu (por conta de um show que aconteceu no Morumbi) enfrentar o Fortaleza de Rogério Ceni e enfim presenteou sua torcida com uma vitória como mandante neste sábado. O ídolo são-paulino recebeu merecidas homenagens da torcida do São Paulo, e se emocionou ao reencontrar seu antigo clube.

Foto: Gazeta Press

Com uma semana de treinamento, a equipe de Fernando Diniz procurou executar completamente a proposta de jogo que o treinador tem como filosofia, saindo jogando desde trás, troca de passes rápidos no campo de ataque, pressão pós-perda da bola. A escalação inicial foi a mesma contra o Flamengo, Luan de volante, Daniel Alves e Hernanes como meias, Tchê Tchê de falso ponta pela esquerda, Antony na direita e Pablo de centroavante. Já o Fortaleza entrou com duas linhas de quatro para se defender e buscar os contra ataques.


Durante os 30 primeiros minutos o São Paulo conseguiu colocar em prática as ideias de Diniz e jogar bem, teve volume ofensivo e controle da partida, não deixando o Fortaleza jogar. Abriu o placar aos 13 minutos com Pablo, após levantamento de Daniel Alves, o que deu mais tranquilidade ao time são-paulino.


Depois desse ímpeto inicial, a equipe da casa diminuiu a intensidade de jogo e baixou as linhas de marcação. Isso possibilitou ao time cearense, estar mais presente no campo de ataque e ter um pênalti, bem marcado pelo árbitro Diego Pombo Lopez, cometido por Reinaldo em Gabriel Dias, e convertido por Wellington Paulista que bateu muito bem, sem chances para Volpi. O São Paulo ainda teve no final da primeira etapa uma ótima chance desperdiçada por Antony, após grande passe de Daniel Alves. O melhor lateral direito do mundo fez a partida que os torcedores esperam. Criou chances, se movimentou, participou, e pareceu estar muito a vontade no novo modelo de jogo da sua equipe.

Foto: Marcos Ribolli

No segundo tempo, o tricolor não conseguiu reproduzir o bom momento que teve em boa parte do primeiro. Mesmo assim teve mais uma chance perdida por Antony, depois do cruzamento de Reinaldo, cabeceando para fora. A joia da base do São Paulo repete o problema de finalização, que possui desde sempre, e precisa ser melhorada se ele quiser se tornar um grande jogador.


Se a etapa complementar não foi boa, o tricolor não deixou de buscar o segundo gol para consolidar a vitória e não abriu mão do estilo de jogo que será padrão daqui em diante. Até que aos 33 minutos, houve uma linda jogada com a cara de Fernando Diniz, toques rápidos, passe de Tchê Tchê para Antony pelo lado direito, que se redime após os dois gols perdidos e da a assistência para Igor Gomes que iniciou a jogada e termina entrando na área e concluindo para o gol da vitória são-paulina. Depois disso, a torcida inflamou nas arquibancadas, e o time jogou com mais tranquilidade, não deu chances para o adversário empatar o jogo e poderia ter ampliado no final com Vitor Bueno, que acertou a trave.


Por ser início de trabalho é normal a oscilação da equipe durante os 90 minutos, ainda mais por enfrentar o organizado time do Fortaleza. A tendência é que isso melhore com o decorrer do tempo, apesar do pouco tempo para treinar daqui para frente. O fato é que essa vitória do São Paulo, diante de mais de 34 mil pessoas que apoiaram o time, é importantíssima para dar confiança e para a sequência do trabalho, que terá pela frente dois confrontos diretos na briga por uma vaga na Libertadores, nos dois próximos jogos, contra Bahia e Corinthians.