• Felipe Mina

O Catar vem aí


A próxima Copa do Mundo será mais que especial, sediada no Oriente médio, no Catar. Com isso terá caráter diferente, devido às altas temperaturas será disputada no inverno da região, em novembro de 2022. Até mesmo seus estádios terão de se adaptar com um sistema de refrigeração devido ao calor.


Além da questão de organização, um quesito ainda é uma dúvida para os torcedores, o que esperar da seleção anfitriã? Por sediar o campeonato, esse será o primeiro mundial disputado pelo país, que não é tradicional no esporte, mas que tem seus clubes com muito investimento nos últimos anos e não demorou para que influenciasse a seleção nacional.


Neste sexta-feira (1) os catari mostram que não estão para brincadeira e conquistaram o maior e único título de sua história, a Copa da Ásia, em sua primeira final. O adversário não poderia ser melhor para engrandecer ainda mais o feito, tratando-se do maior campeão da Ásia, o Japão.


E não foi só mais apenas uma “zebra”, o Catar fez por merecer tendo a melhor campanha do torneio com 100% de aproveitamento, melhor ataque com 19 gols marcados e melhor defesa, com 3 gols sofridos.


Além do grande vitória por 3 a 1 na final, o Catar derrotou a forte Coreia do Sul nas quartas de final, seleção do melhor jogador asiático em atividade Heung-min Son, atacante do Tottenham. Goleada por 4 a 0 sobre os Emirados Árabes na semifinal, seus maiores rivais.


Este elenco campeão surpreende com a média de 22 anos, comandado por Félix Sánchez, no país desde 2006, treinando as seleções de passe até 2017 quando assumiu a seleção principal. Destaque para o centroavante Almoez Ali, que atua no país e que foi o artilheiro da Copa Ásia com 9 gols. Outro que também atua no futebol nacional é volante Akram Afif, líder de assistências da competição 6 passes para gol.


O título traz mais confiança a seleção para esse ciclo pré Copa do Mundo, mas não será o único, já que o país foi convidado e disputará a Copa América em junho deste ano no Brasil, em grupo com a Argentina, Colômbia e estreia no dia 16 contra o Paraguai.


As seleções que sediam os mundiais costumam ter problemas por se ausentarem das classificatórias, forçando a equipe a encarar uma série de amistosos deixando de lado o ritmo de jogo, o que aumenta a importância dessas competições para a seleção do Catar.


(Foto: Divulgação/Redes sociais Catar)

© 2018 WEB RÁDIO DE PRIMA. DESENVOLVIDO POR MVPMOVE

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon
  • Branca Ícone SoundCloud