• Livia Camillo

O que acontece se o Santos perder para o Nacional?


Após estrear com derrota na Libertadores diante do Real Garcilaso, o Santos tem uma missão contra o Nacional, no Pacaembu: resgatar a confiança. Isso porque a sequência de quatro jogos sem vitórias, além de atuações com pouco “brilho” em partidas dentro de casa, faz cair pressão sobre os ombros de Jair Ventura e seus comandados. Resta para o técnico, que completou 39 anos no último dia 14, encontrar o caminho da regularidade para a equipe alvinegra.


No entanto, caso perca para o adversário uruguaio, o que acontece com o Santos?

Para responder a esta pergunta, é preciso levar duas coisas em consideração. A primeira delas é fase de adaptação do clube. Com um treinador jovem à frente de um elenco recheado de revelações das categorias de base, muitos testes ainda estão sendo realizados pela comissão técnica em busca do “time ideal”, como foram nas últimas duas partidas da fase de grupos do Paulistão.


Apesar dos resultados negativos contra Novorizontino e São Bento, o Peixe, que entrou em campo praticamente com escalações olímpicas (sub-23), mostrou que a nova safra de “Meninos da Vila” tem potencial para deslanchar num futuro próximo. Mas, por hora, em fase de amadurecimento, os garotos deixam o estômago do torcedor azedo com falhas bobas – caso do pênalti infantil cometido pelo zagueiro Robson Bambu, improvisado na lateral direita no último domingo.


O segundo ponto a se analisar é a situação do próprio Jair. Depois de dar folga para Gabigol – que completou duas semanas fora dos gramados – e de decidir poupar novamente os titulares na partida contra o São Bento, o comandante começou a gerar insatisfação em parte dos torcedores e diretores santistas. A cobrança é válida, até porque, nos próximos confrontos, não haverá “mamão com açúcar” para o alvinegro praiano. Pela frente, o Santos encara o Botafogo-SP na decisão das quartas de final do Paulista, além da sequência no torneio continental para definir sua classificação à fase mata-mata.


Por fim, o que acontece se o Santos for vencido? Além de confirmar a lanterna da sexta chave da Libertadores, sem pontuar, o time ficaria assombrado por uma possível queda ainda na fase de grupos da competição – o que aumentaria a pressão em torno da decisão contra o Tricolor de Ribeirão Preto no estadual.


Pode parecer extremista, mas, em suma, o primeiro semestre do Peixe passaria de construtivo a um completo caos. Isso se for deixado de lado o âmbito político do clube, que caminha conturbado com as “rachas” da diretoria, e as ausências por lesões de importantes peças do elenco. Se perder nunca é uma opção, principalmente neste cenário, uma nova derrota significa “pulga atrás da orelha” de Jair e cia. Pulga esta que dificilmente vão conseguir tirar sem sangrar um pouco.