• Guilherme Morais

O que esperar do Vasco na Libertadores?


Foto: Reprodução/ Instagram @prazervasco


O Vasco teve sua estreia na fase de grupos da Libertadores na semana passada, contra a Universidad do Chile, em casa, e acabou perdendo. O Cruzmaltino fez uma partida fraca tecnicamente e deixou seus torcedores em dúvida.


O começo da temporada na pré-Libertadores fez com que começasse a criar ilusão na torcida, pois era uma força descomunal dentro de casa e fez bons jogos fora, também.

Contexto desfavorável


Desde o início do ano, o clube vem passando por problemas extracampo: eleições tumultuadas, principais jogadores indo embora, contratações sem muito alarde e a base tendo de ser a solução para tudo. O que poderia esperar da instituição Clube de Regatas Vasco da Gama em 2018 numa competição importante como a Libertadores que não participava desde 2012?!


Expectativa X Realidade


Era esperado o futebol das primeiras quatro partidas na fase pré. Futebol veloz, transição rápida entre defesa e ataque, o setor defensivo mais ajustado. E mesmo com algumas falhas, o futebol da base aparecia muito bem – principalmente com o Paulinho –, a falta de Nenê não era sentida e, notava-se, por fim, muita garra em campo. A torcida sabia – e sabe! – das limitações do Vasco. No entanto, acreditavam na equipe. O primeiro jogo da fase de grupos foi um golpe muito forte.


Golpe sentido


Sim, o adversário era mais qualificado e cascudo, todos sabem, mas a postura vascaína preocupou. Mostrou sentir a competição e não ter poder de reação pra bater de frente com a “poderosa” LaU. Além de ter um time com pouca qualidade técnica e dependente demais dos seus atletas mais jovens, não mostrou sua identidade como era esperado. A torcida fez seu papel e lotou o São Januário, mas, infelizmente, o resultado não veio.


Lembre-se, torcedor vascaíno, o grupo é difícil. Jogar contra o Cruzeiro, que montou um grande elenco para esta temporada, o Racing da Argentina, que tem uma das grandes joias do futebol nacional e o jogo da volta no Chile, contra a LaU, não serão tarefas fáceis.

O Vasco precisa trazer à tona sua identidade e padrão de jogo em uma competição como essa, e, se perder, ao menos mostrar vontade em campo.


Nos últimos anos, o clube sofreu e ainda sofre demais com a má administração, e quanto mais deixarem refletir dentro de campo, pior será. Qual Vasco será o do próximo jogo na Libertadores? A torcida pede para que seja o gigante da Colina.