• Evelyn Cristina

Quem merece o MVP?

Todos sabem que praticamente desde o começo da temporada 2018-2019 a corrida para o MVP está acirrada entre dois jogadores: James Harden x Giannis Antetokounmpo. Disputando jogo a jogo, semana a semana quem é o melhor e quem merece o tão sonhado prêmio de Most Valuable Player. Porém, correndo por fora, se assim podemos dizer, há um outro jogador de camisa 13, mas que veste azul que também está de olho nesse prêmio e fecha o top 3 da MVP race da NBA: Paul George.


Foto: REUTERS

Falando primeiramente de James Harden, o ala-armador está com uma incrível sequência de 31 jogos pontuando 30+ por partida, empatando com Chamberlain em segundo lugar nessa estatística. O franchise player do Houston Rockets foi crucial no início da temporada para manter o time do Texas na briga pelos playoffs após a lesão de seu companheiro, Chris Paul, que ficou vários jogos sem poder atuar e ajudar seus companheiros.


Durante esse tempo, Harden anotou 304 pontos sem receber nenhuma assistência do restante da equipe, o que fez a mídia e os fãs aumentarem suas atenções para o atual MVP da liga. Atualmente, a média do Barba na liga é de 36.5 pontos, 5.7 rebotes e 7.7 assistências por jogo, além de ter 44.2% de FG, 37.1% de 3FG e 87.1% de FT.


Os pontos contra o ala-armador da equipe do Rockets que são explorados por aqueles que não o consideram o favorito ao MVP, pelos críticos e até mesmo pelos haters, diz respeito ao seu jogo, como ele usa as regras da liga ao seu favor, principalmente no que tange as faltas para que consiga arremessar lances livres. É inegável que o Harden sabe muito bem como explorar as jogadas e as faltas, por isso consegue tantos FT durante as partidas da forma que consegue. Errado? Não. Demérito? De forma alguma. Méritos todos dele por saber como usar o que pode a seu favor.


Harden também tem melhorado consideravelmente seu jogo na defesa essa temporada, tendo um bom número de steals e blocks, mas como é de se esperar, seu número de turnovers também é um pouco alto, porém é apenas uma consequência de quem fica tanto tempo com a bola e faz tanto em quadra para ajudar sua equipe buscar as vitórias.


Foto: Benny Sieu, USA TODAY Sports

Saindo do Oeste e indo para o Leste, vamos agora falar sobre o franchise player do Milwaukee Bucks. O greek freak para muitos é a surpresa da temporada, para outros, é uma realidade que era apenas “questão de tempo” para se concretizar. Giannis lidera a equipe que tem a melhor campanha da liga com 43 vitórias e 14 derrotas e veio melhorando seu jogo temporada a temporada até chegar a ser um fortíssimo candidato a MVP na atual temporada.


O grego, ao ter se tornado um melhor passador, dificulta e muito o trabalho de defesa da equipe adversária e, tendo os chutadores do seu time mais espaçados em quadra, tornou-se o líder de arremessos convertidos dentro da área restrita no garrafão.


As médias de Antetokoumpo até o momento são de 27.2 pontos, 12.7 rebotes e 6 assistências por jogo, além de uma porcentagem de 58.1% de FG, 22.7% de 3FG e 71.6% de FT. O técnico do Bucks já confirmou em entrevistas que o grego melhorou o jogo de sua equipe, que ele mudou todos para melhor. “Somos um dos melhores times por conta de Giannis”, afirmou Mike Budenholzer.


Giannis, mesmo com seus lances isolados e belíssimas enterradas é um dos jogadores que você percebe que está ali para o time. Ele se doa para sua equipe e não suporta perder, tanto é que fica por vezes treinando pós-jogos os lances que ele acredita ter cometido um erro durante a noite. Um após o outro, incansavelmente. Apesar de não ser o favorito na casa de apostas para ganhar o MVP, o nosso querido greek freak não parece desanimar e continua buscando o tão cobiçado título individual da temporada.


Foto: Alonzo Adams/USA Today Sports

E quem imaginaria uma temporada igual à que Paul George vem fazendo? Talvez os torcedores do OKC, mas aposto que não muitos além deles. O camisa 13 do Thunder vem, sem dúvidas, ajudando na dor de cabeça naqueles que votam para premiar o MVP. Se alguém tinha algum questionamento ainda do porque ele estar em pauta na corrida para o prêmio, a noite de ontem deixou muito bem claro para todos.


PG13 anotou 45 pontos, 9 rebotes e 7 assistências para sua equipe na vitória sobre o Utah Jazz, além de não ter cometido nenhum turnover. Mas, o mais importante que todos esses números é o game winner que selou a vitória da equipe de Oklahoma. Estando 1 ponto atrás do placar e faltando apenas 6 segundos para o final do segundo overtime, Paul George resolveu liquidar a fatura e fez uma linda jogada, conseguindo converter seu arremesso, deixando apenas 0.8 segundos no relógio e a equipe de Utah 1 ponto atrás. Pra quem nunca tinha conseguido nenhum game winner em sua carreira, essa temporada nosso candidato a MVP resolveu acabar com a piada.


George tem ótimas médias, com 28.9 pontos, 8 rebotes e 4.2 assistências, além de 45.5% de FG, 40.5% 3FG e 84% FT. Além de conquistar seu espaço na MVP race, o ala de OKC também é um grande concorrente para o prêmio de DPOY (Defensive Player Of Year) com suas ótimas performances de defesa, ajudando em todos os lados da quadra da equipe de Oklahoma.


A melhora em relação a temporada passada é visível a todos que acompanham a NBA, mas George também teve uma melhora durante essa temporada, o que, com certeza, foi o que o credenciou a um lugar nessa discussão. O desafio para PG13 é se manter no ritmo, pois o que não deixa de ter nessa liga são candidatos que querem ganhar o tão sonhado prêmio de MVP.