• Guilherme Amendola

SÃO PAULO ERRA NA DEFESA E CONHECE A PRIMEIRA DERROTA DO ANO

Na última rodada, o São Paulo se tornou a única equipe invicta do Campeonato Paulista, dentre os quatro grandes do estado. Mas não demorou muito para que esta invencibilidade caísse, e o tricolor foi derrotado pelo Santo André, na noite deste domingo no estádio José Bruno Daniel.

Foto: Marcello Zambrana

O técnico Fernando Diniz fez apenas uma mudança na escalação, em relação aos últimos jogos. Anderson Martins entrou no lugar de Bruno Alves que não está na sua melhor condição física, e além disso estava pendurado e corria o risco de perder o clássico do próximo sábado, contra o Corinthians. Já o técnico Paulo Roberto dos Santos, optou pela saída de Ramon, Rondinelly e Branquinho, para as entradas de Fernandinho, Vitinho e Ronaldo, já que são jogadores rápidos e se enquadram com a proposta do Santo André para enfrentar o São Paulo.


A equipe da casa entrou com a intenção de esperar o adversário e sair nos contra ataques, enquanto os visitantes manteram sua tradicional maneira de jogar, tentando dominar através da posse de bola. O gramado encharcado dificultou a fluidez do jogo para a equipe que tocava mais a bola, principalmente no início. Eis que logo aos 4 minutos o Santo André abre o placar com Fernandinho, que sem marcação, pegou na entrada da área, o rebote da disputa áerea entre Ronaldo e Arboleda, e mandou para as redes. O sistema defensivo do São Paulo vacilou, mas o gol foi ilegal já que Ronaldo estava em posição de impedimento na origem do lance.


O gol fez com que a proposta do Santo André se solidificasse ainda mais, se fechando em seu campo e buscando as transições em velocidade, enquanto o São Paulo se jogou ainda mais ao ataque, para buscar o resultado, e conseguiu criar duas oportunidades, uma delas com Hernanes que chutou na trave. Até que aos 32 minutos, em bola cruzada por Marlon, Dudu Vieira desviou e ampliou o placar, num lance onde a defesa são-paulina teve pouca intensidade para evitar o gol. O Ramalhão ainda teve um novo contra ataque, que desta vez parou em Tiago Volpi.


No intervalo, Diniz tirou Juanfran e Anderson Martins, para colocar Igor Vinícius e Éverton. Reinaldo foi para a zaga junto com Arboleda, enquanto Éverton entrou na lateral esquerda. No início do segundo tempo, o São Paulo faz uma linda jogada, ao estilo Fernando Diniz, com tabelas rápidas, deixando Vitor Bueno na cara do gol, porém ele manda por cima. Até que aos 15 minutos Daniel Alves diminui para o tricolor batendo falta, onde a bola desvia na barreira e entra no gol de Fernando Henrique.


O São Paulo continuou pressionando em busca do gol de empate, criou chances mas não foi efetivo nas finalizações e ainda contou com uma grande atuação do goleiro Fernando Henrique. Diferente do primeiro tempo, em que o jogo teve chances para os dois lados, a etapa complementar foi marcada por um domínio e controle do time do São Paulo que criou chances e não permitiu que o Santo André chegasse com perigo em seu gol. Porém, o tricolor, mais uma vez, errou na finalização dos lances, enquanto o Ramalhão conseguiu ser efetivo nas chances que teve. Vale ressaltar que o primeiro gol foi irregular, e portanto mudou a história da partida.


De modo geral, o São Paulo jogou bem e foi melhor que o Santo André durante quase todo o jogo, porém, novamente pecou defensivamente e nas finalizações. O início de temporada do tricolor segue aceitável em questão de desempenho, e mostra um caminho que pode evoluir com o tempo. Portanto, não é hora para alarde por essa primeira derrota, e o trabalho tem que seguir.