SANTOS SÓ EMPATA E FICA LONGE DO LÍDER

Na tarde deste domingo (8), Santos e Athletico-PR ficaram no empate em jogo com pênalti polêmico, valido pela 18º rodada do Campeonato Brasileiro. Os autores dos gols foram: Carlos Sánchez (Pênalti) para os Alvinegros e Braian Romero para o Furacão.

Foto: GUILHERME DIONíZIO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

O Peixe entrou em campo com a formação 3-4-3 e como é de preste jogando sobre seus domínios, iniciou a partida com uma pressão absurda, buscando a todo momento a abrir o placar. Era um time que estava com um ataque leve e rápido, com seu principal jogador Marinho tentando a todo momento, driblar, e finalizar. Falando no camisa 11 santista, ele foi quem teve a melhor oportunidade de marcar o tento para sua equipe, quando Léo goleiro da equipe paranaense, falhou em saída de bola, e entregou a redonda nos pés do atacante que finalizou, para o bloqueio de Léo Pereira.

Após primeiros 30 minutos de muito abafa e pressão, o Furacão que foi a campo com seu time reserva e no esquema tático 4-4-2, depois de se segurar lá atrás na defesa e “sofrer”, aos poucos estava se soltando e pisando um pouco mais na área adversária. Foi com toques de bola rápidos que os visitantes chegaram as suas primeiras finalizações que obrigaram Éverson à realizar duas grandes defesas. Depois de tanto ficar em seu campo de defesa o Atlhetico resolveu sair mais para o jogo e aos 41 minutos, em jogada trabalhada, Braian Romero apareceu livre na área e empurrou a bola para o fundo das redes abrindo o placar.

O Segundo tempo começou com o Alvinegro praiano um pouco mais contido. Porém, foi tendo paciência e começou a criar jogadas e finalizar no gol, obrigando o arqueiro rival a fazer boas defesas. O Santos estava chegando e passou a ter durante o jogo 23 finalizações contra apenas 8 do rival. O Atlhetico abdicou de jogar e só dava Peixe. Um dos grandes destaques da partida era Léo goleiro do Furacão que estava “fechando o gol “e não deixando Uribe e Lucas Verissimo, empatar o confronto, ambos tiveram chances a queima-roupa de cabeça contra o goleiro.

Com a derrota parcial, Sampaoli, decidiu abri mão de seu esquema tático e lançou à campo, Lucas Venuto e Pará, os dois até conseguiram entrar bem. Mas o Peixe só chegou ao empate com um pênalti pra lá de polêmico em que Marinho teve um primeiro contato com o seu marcador fora da área, porém, o VAR foi acionado e o juiz foi até a cabine analisar e decidiu marca o pênalti. Sánchez ficou encarregado pela cobrança e de cavadinha, deixou o jogo em igualdade.

Após o apito final os técnicos Tiago Nunes e Sampaoli se estranharam, por causa que ambos não gostaram do comportamento dos jogadores rivais de ambas as equipes.