SEGUNDA CHANCE! APÓS SURPRESAS NA PRIMEIRA FASE DA COPA, É HORA DE REVER OS PALPITES!


A dupla Hazard e Lukaku foi destaque da ótima campanha da seleção belga nessa primeira fase. Foto: AFP

O clima de tensão na Rússia está no ar! A primeira fase da Copa do Mundo se encerra com sufoco de seleções tradicionais, campeã do mundo eliminada, resultados surpreendentes e muitos golaços!

Até mesmo antes do primeiro jogo, os palpites estavam na boca de quem está nas ruas, na rádio, nos jornais, na televisão e na internet. Não importava o jogo, todos deram “pitacos” em quem ia levar a melhor nos grandes confrontos, quem ia surpreender, qual seria a zebra, quem seria o grande nome da Copa e por aí vai.

Com os resultados do fim da primeira etapa, muitos palpites foram por “água a baixo” e agora é o momento de reestabelecer as apostas. A De Prima fez um balanço das primeiras baixas e em quem ainda dá para “botar fé”. Confira:


1. A GRANDE FAVORITA


Eis a questão! A grande dúvida dessa Copa era quem chegaria como favorita. Alemanha, França, Brasil e Espanha disputavam opiniões de quem ia levar a taça em solo russo.

Logo na primeira rodada, uma surpresa. A nova geração alemã que tinha a missão de reviver a ótima campanha da última Copa, perdeu do México e se complicou na competição. A seleção ainda passou sufoco para vencer a Suécia no segundo jogo, mas acabou caindo na primeira fase do mundial após ser batida pela Coréia do Sul.

A França, por sua vez, confirmou seu favoritismo no grupo C. A seleção veio com uma “boa safra” de jogadores rápidos, técnicos e versáteis e teve boas apresentações.

Os comandados do técnico Tite contavam com a “ousadia e alegria” do trio Neymar, Gabriel Jesus e Philippe Coutinho para esquecer de vez o vexame em casa e serem fortes candidatos ao título. Apesar de uma má estreia, a seleção voltou a apresentar um bom futebol e encerrou a fase de grupos com chave de ouro.

Por fim,a equipe dos renomados Sérgio Ramos, Piqué e Iniesta buscavam o favoritismo do grupo B, com a rival Portugal. Os jogos difíceis e com uma grande interferência do VAR aconteceram neste grupo, mas a seleção espanhola acabou a primeira fase em primeiro.


2. A ZEBRA DA VEZ


As apostas antes da Copa do Mundo foram para: Islândia! A seleção do menor país a disputar uma Copa ganhou todas as partidas classificatórias em casa e acreditava-se dar trabalho na competição.

A seleção estreou em território soviético contra a favorita do grupo, a Argentina, e não decepcionou. Empatou com “los Hermanos” em jogo que teve Messi perdendo pênalti. Em contrapartida, as partidas seguintes não foram como se esperava, as derrotas para as seleções de Nigéria e Croácia acabaram com o sonho da classificação, para a decepção da “torcida vikings”.


3. A SURPRESA


A Bélgica chega à Rússia como uma grande surpresa. A seleção líder no grupo G da Copa disputou a classificação do grupo com Inglaterra, Panamá e Tunísia.

Com grandes destaques individuais como Courtouis, Lukaku, Hazard e De Bruyne, a seleção teve boas apresentações e terminou a primeira fase da competição invicta. Nas oitavas, eles encaram a seleção japonesa para seguir sonhando com o título.

Assim como a Bélgica, Senegal tinha um ótimo potencial para surpreender nesta Copa, muito pelas atuações de seu craque, o atacante do Liverpool, Sadio Mané. A seleção caracterizada pela força física, mas também muita velocidade, contava com uma de suas melhores gerações – desde a zaga, passando pela boa dupla de volantes e um ataque fatal.

A seleção que estava no Grupo H, um dos mais equilibrados da Copa, com Polônia, Colômbia e Japão, começou vencendo na primeira rodada, mas com um empate e uma derrota acabou deixando a surpresa africana de fora da fase final.


4. O CARA


Os nomes são dos mais variados, afinal, quando se trata dos melhores atletas do mundo em campo, fica difícil pensar em um único nome para destaque.

O francês Mbappé, “lo hermano” Lionel Messi, o português Cristiano Ronaldo e os brasileiros Gabriel Jesus e Neymar começaram no topo da lista para serem o “Grande nome da Copa”.

Peças principais nas respectivas seleções, os jogadores devem ser ainda mais decisivos para buscar levar suas seleções ao título. Gabriel Jesus e Lionel Messi ainda não apresentaram tudo o que se espera deles, Neymar e Mbappé também não encantaram. No entanto, o melhor jogador do mundo foi responsável por 4 dos 5 gols da seleção portuguesa e está saindo na frente dos outros craques para a fase final da Copa.