• Guilherme Morais

SEU TIME TEM UM 10?

Já parou pra pensar que o futebol brasileiro não tem mais um camisa 10 clássico? Alguém que faça a diferença em apenas um toque na bola? Onde está esse jogador? O 10 virou 8, 14, 7, 9, todos os números, menos o que ele realmente representa.


Antigamente estávamos acostumados com todos os times do futebol brasileiro, ter ao menos, dois jogadores com a mesma característica. Alguém que faça a diferença na partida, que chame a responsabilidade, comande a equipe na partida. Aquele cara que você espera uma jogada diferente, não tenha medo de errar e nessa tentativa acerte e muito. Mas voltemos nossos olhos ao futebol brasileiro. Onde está esse jogador? Temos ele ainda? Um Lucas Lima, um Jadson, um Hernanes, um Diego, um Thiago Neves, um Cazares, um D’Alessandro. Jogadores que, hoje, usam ou “fazem” esse papel de 10, na teoria, mas que na prática estão bem longe do que é esperado. E na seleção brasileira? O 10, é um ponta esquerda, que mais cria fora das quatro linhas do que dentro.



Foto: Ilustrativa (Fox Sports)

Não temos uma referência, mas muito pelo que se tornou o futebol brasileiro. Se nem o respeito e o “medo” que estávamos impondo aos adversários existe mais, imagina ter um jogador que assuma essa responsabilidade do 10. É o número que faz o adversário pensar duas vezes antes de marcar, é habilidade com a inteligência, é velocidade com a cadência. É o craque.


Hoje, o 2 aparece mais, o 5, o 8, o 11, todos os números, mas o 10 talvez seja pesado demais para que coloquem nas costas e saiam jogando com facilidade. Seu time tem um 10? Porque, hoje, esse número, é mais “UM zero à direita”.