• Bruno Cassiano

Sobre e-sports e o futuro



Desde que a internet se tornou mais veloz e acessível no mundo, os chamados e-Sports vêm ganhando espaço e se tornando mais habitual entre os usuários.


Visando uma nova oportunidade de engajamento e lucro, clubes esportivos apostam nesse novo mercado em expansão. Clubes europeus como Paris Saint Germain, Schalke-04, Mônaco, Valencia, Manchester City e Wolfsburg, já contam com equipes voltadas para o e-Sport.


No Brasil, são poucos os clubes que contam com representantes nessa nova modalidade esportiva: apenas Santos e Flamengo, dentre os considerados grandes.


Em novembro de 2017, o Corinthians anunciou uma parceria com o time Red Canids. Com a parceria o time de e-sports passaria a se chamar Red Canids Corinthians. Essa parceria foi desfeita no último dia 20 e pode ser significativa.


A parceria ter durado tão pouco pode demonstrar certo receio de clubes grandes no investimento na modalidade. É preciso crer em um retorno a longo prazo, esse é um mercado em expansão, mas ainda não consolidado.


Por outro lado, também pode significar a iniciativa de investir um pouco mais para ter um time sem a necessidade de uma parceria, algo semelhante a atuação do Flamengo que está prestes a promover uma seletiva nacional para a montagem de um elenco.


Dentro do Corinthians o fato de ter parcerias, não é algo novo. Encerrar parcerias, também não. A mais recente foi com o Audax, com o qual mantinha uma parceria para a montagem de um time feminino. Agora o clube alvinegro conta com um time só seu.


O futuro do e-sport, aqui no Brasil ainda é uma incógnita. Mas não se pode negar que ele existe. Há toda uma tendência a ser seguida não só aqui, como no mundo. Este é o futuro que pouco a pouco, se transforma no presente.


Foto: Bruno Alvarez