• Vinicius Rodrigues

SONHOS SENDO INTERROMPIDOS

Atualizado: 9 de Fev de 2019



O mundo esportivo hoje(8) amanheceu de luto, hoje é aquele dia no qual o futebol fica em segundo plano, o dia no qual a solidariedade, a comoção, falam mais alto do que qualquer outra coisa, independentemente da cor ou da camisa, do time que você torce, admira, enfim, o lado humano vem à tona em circunstâncias como essas.


Não tem como olhar o fato que ocorreu, sem analisar o futuro. Promessas do nosso futebol estavam ali, pessoas que sonhavam em chegar ao auge, lutavam em prol dos seus pais, para conseguir dar um futuro melhor para sua família, e por uma fatalidade, tudo isso foi interrompido.


Impossível é mensurar o tamanho da perda, a única certeza que nós temos é que agora o tempo não irá voltar. Atitudes poderiam ser tomadas? Sim. Mas o ser humano é robotizado, por não conseguir identificar um erro e procurá-lo corrigir no mesmo instante. O Flamengo hoje, ao lado do Palmeiras, é o clube que financeiramente falando, vive uma condição boa, mas ficou evidente que a preocupação está somente nos profissionais, a base foi deixada de lado.  Lembrando que não estou aqui para apontar o dedo, culpar alguém. Até porque o meu papel não é esse.


Mas até quando irão brincar com os sonhos das pessoas? E os pais desses adolescentes? E os atletas que sobreviveram e vivenciaram tudo isso?

O que não pode acontecer é daqui um mês ninguém falar sobre o assunto, achar que foi normal o que aconteceu. Não tem nada normal, pessoas precisam ser penalizadas, além dos sonhos, vidas foram tiradas por um incidente, muita coisa precisa ser esclarecida.


Infelizmente, no nosso país é necessário uma tragédia para que algumas pessoas se comovam e se movam para tentar mudar alguma coisa. Dez pessoas foram embora, mas a gravidade poderia ter uma proporção bem maior.


Estar envolvido com este mundo esportivo, acaba mexendo muito com o lado sentimental em momentos como este. Porque ali estavam atletas que almejavam vôos mais altos, mas perderam a vida. Jogadores que deixavam seus lares por alguns dias, para defender uma instituição, sem saber quando voltariam a ver a suas famílias. Pessoas que estavam abrindo mão de muitas coisas para chegar ao nível mais alto, e tudo isso da forma mais bruta foi arrancado, dói demais.


Que o caso sirva de lição para os demais clubes, que reajam e façam uma análise em cada canto de seus centros de excelência, alojamentos, porque estão lidando com vidas. Os bastidores por completo de cada time, são impossíveis de a mídia ter acesso, mas diversas podridões acontecem, em alojamentos de base, por exemplo; a garotada passa fome, sofrem com a cobrança e mesmo assim não abrem mão de lutar por aquilo que sempre sonharam, que é se tornar um JOGADOR DE FUTEBOL.


Nós da equipe De Prima, nos sensibilizamos com o ocorrido e externamos as nossas condolências, aos familiares e amigos das vítimas