• filipeq09

"TÔ AQUI, PROFESSOR! LUAN PEDE PASSAGEM NO TIME TITULAR


Foto: Divulgação | São Paulo FC / Conmebol

O São Paulo de Hernán Crespo continua fazendo história, após a quinta vitória consecutiva no ano de 2021, desta vez pela estreia da Libertadores da América. E tudo isso em pouco mais de uma semana, feito incrível, jamais conseguido pelo clube.


Mas não estamos aqui para falar disso hoje, nem da vitória (embora brilhante) desta terça (20/04) que deu a liderança isolada de seu grupo. Vamos falar um pouco sobre Luan, componente importantíssimo desta engrenagem São-paulina nas últimas vitórias. O garoto do Morumbi, que estreou como profissional logo num clássico diante do maior rival Corinthians, no ano de 2018 quando houve uma goleada do time Tricolor em casa.


Na noite de ontem foi a vez do volante marcador, o famoso cão de guarda, brilhar e enfim marcar o seu primeiro gol com a camisa vermelha, branca e preta, de tanta história e tradição. Ao colocar Luan em campo, o time de Diniz em 2020/21 melhorou muito seu desempenho na defesa e ataque, dando segurança ao meio campo, tudo se equilibro.

"Foi especial, trabalhei muito para realizar esse sonho"

Mesmo não ganhando o título brasileiro do ano, se não fosse Luan (ao lado de Luciano e Brenner, claro!) o time sequer chegaria a uma disputa de troféu na temporada, já que Tche Tche não passava confiança alguma no setor.


Bom, mas vivendo o presente, Luan teve sua recompensa em uma "noite de Libertadores", como diz o próprio slogan do São Paulo, que adora esta competição. Ele foi o responsável pelo primeiro gol da equipe, pelo desafogo, desabafo, alívio e grito de "estou de volta, quero ganhar o tetra!" do time tricampeão continental. Após isto tudo ficou mais fácil, os gols fluíram naturalmente, mas com Luan fazendo o que faz de melhor, que não é o gol, mas marcar (e marcar muito).


Porém, o gol vale para o garoto de Cotia se sentir confiante e capaz de dominar a posição, e melhor ainda, mostrar para Crespo que ele é o volante "pitbull" e também ofensivo que o treinador tanto precisa. Não é a toa que neste último jogo diante do Sporting Cristal (PER) ele jogou a frente de Liziero, que na teoria tem mais habilidade na saída de bola; Crespo parece estar na mesma sintonia, querendo fazer Luan jogar e fazer a diferença em outros setores do campo também - algo que não pode ser tirado como mérito de Fernando Diniz, pois ele sempre o incentivava a jogar além de marcar seus adversários.


Enfim, Luan está dizendo, não com palavras, mas com belas ações: "tô aqui, professor! Quero uma vaga no seu time", e pelo jogo de estreia na Libertadores é difícil o argentino negar novas oportunidades em jogos importantes ao meia polivalente do São Paulo Futebol Clube.