• Bruno Cassiano

OPINIÃO: Tite deve ser mantido


FOTO: Andrew Yates/REUTERS

A participação da Seleção Brasileira de futebol na Copa do Mundo de 2018 se encerrou nas quartas de final, uma fase antes da eliminação de 2014, a seleção canarinho perdeu para a Bélgica pelo placar de 2-1 e viu o sonho do Hexa se distanciar novamente.


Com a derrota e, consequentemente, a eliminação, surgem as dúvidas e talvez a principal de todas elas seja sobre a permanência do técnico Tite. É o momento no qual todas as suas decisões, desde a convocação, passando por escalações e substituições, são analisadas e postas em uma balança. Mas não nos esqueçamos do período pré-Copa.


A Seleção Brasileira passa por uma reestruturação desde a última Copa do Mundo, na qual foi eliminada pela Alemanha de forma vexatória. Tite participou de boa parte dessa reestruturação, assumiu logo depois do técnico Dunga para pôr o time novamente nos eixos, em um momento no qual não tínhamos certeza de nossa participação no mundial deste ano. Com Tite conseguimos uma recuperação muito grande no pouco tempo na qual ela tinha de acontecer e a seleção foi a primeira classificada para a Copa da Rússia.


Os números do treinador, incluindo o jogo contra a Bélgica, são favoráveis. Até aqui ele esteve à frente da equipe em vinte e seis oportunidades, venceu vinte vezes, empatou outras quatro e perdeu somente em duas partidas. Apesar de uma das derrotas ser a que nos eliminou, este é um retrospecto que o credencia para ser mantido no comando técnico da seleção.

Mas não são apenas os resultados de Tite que me fazem crer que sua permanência é o melhor a ser feito, temos um exemplo próximo, e até mesmo dolorido, de como a continuidade de um trabalho pode afetar de forma positiva o desempenho de uma seleção em campo. Joachim Low trabalha na seleção alemã há doze anos, oito destes como treinador, de lá para cá conseguiu reformular a Alemanha para fazê-la figurar novamente no protagonismo do futebol, tendo conquistado uma Copa do Mundo e uma Eurocopa durante seu caminho. O técnico, eliminado na fase de grupos da Copa da Rússia, está garantido em seu cargo para o próximo Mundial no Catar.


Tite, assim como Low, já deu provas que com tempo e confiança, seu trabalho pode render boas brigas por títulos, assim como atuações em alto nível. Ele é, ainda hoje, o melhor técnico brasileiro atuando, o mais credenciado no momento para nos levar ao hexa.


Durante o caminho, Tite também cometeu erros, alguns deles durante a Copa do Mundo, mas são coisas para serem corrigidas em uma nova caminhada que irá se reiniciar a partir de agora. A continuidade do trabalho, nos fará bem maior do que o início de um trabalho totalmente novo.