• Leonardo Cruz

TRADIÇÃO SECULAR

Atualizado: 19 de Fev de 2019


Foto: UFC Divulgação

O UFC Phoenix, realizado neste domingo (17/02) proporcionou aos seus fãs a oportunidade de reviver o Jiu-Jitsu brasileiro em sua mais pura essência. A estreia de Kron Gracie no principal evento de MMA mundial trouxe de volta uma tradição que começou no início do século XX, quando o judoca japonês Mitsuyo Maeda introduziu este estilo de luta agarrada no Brasil.


Carlos Gracie foi o primeiro membro da família a ter contato com esta arte marcial, treinado por Maeda, logo levou seus irmãos para aprenderem as técnicas também.


Este estilo de luta caiu tanto no gosto dos irmãos Gracie que no ano de 1925 fundaram sua própria academia de Jiu-Jitsu. Ao longo desses anos, geração, pós geração, os Gracie vêm desenvolvendo cada vez mais esta arte marcial, e recebem reconhecimento mundial por toda dedicação a esta modalidade de luta.


Kron, que está invicto no MMA, não decepcionou os adeptos do Jiu-Jitsu, em sua primeira luta no UFC, contra o estadunidense Alex Caceres, esperou o melhor momento para ainda no primeiro round levar a luta para o chão e com um mata-leão obrigar Caceres a bater em desistência.


Esta foi a primeira vitória de um Gracie em 25 anos no Utimate, desde o triunfo de Royce Gracie contra Dan Severn, em luta que ocorreu no ano de 1994, válido pelo UFC 4. Rolles, Renzo e Roger Gracie tiveram oportunidades para lutar pelo UFC neste período, mas decepcionaram e perderam suas lutas.


Foto: UFC Divulgação

Outra luta que gerou grande expectativa, inclusive foi o evento principal do UFC Phoenix, foi a disputa válida pela categoria peso pesado entre o camaronês Francis Ngannou e o ex-campeão Cain Velasquez, que não lutava desde julho de 2016, quando venceu Travis Browne por knockout. Neste período, Velasquez sofreu com diversas lesões que o afastaram do octógono.


A luta durou apenas 26 segundos, Ngannou fez valer seu favoritismo e não deu chances para Cain, um knockout espetacular calando o púbico presente na Talking Stick Arena que estavam torcendo em sua maioria para o lutador estadunidense.


Esta foi a terceira derrota de Velasquez no UFC, anteriormente, já havia perdido para os brasileiros Junior Cigano e Fabrício Werdum. Já o camaronês Francis Ngannou, conquistou sua terceira vitória consecutiva na organização e agora quer disputar o cinturão que pertence ao temido Daniel Cormier.


Na disputa que foi co-evento principal, o estadunidense Paul Felder derrotou o seu compatriota James Vick por decisão unânime dos juízes. A luta ficou marcada pela forma intensa em que os oponentes se comportaram no octógono, ambos utilizaram a trocação como principal arma durante todo o combate.


O brasileiro Renan Barão que já foi campeão de sua divisão, sofreu seu quarto revés seguido no UFC, foi derrotado pelo Luke Sanders com um knockout no segundo round. Esta luta que foi válida pelo peso-galo e foi colocada no card preliminar do evento.


Demais resultados do UFC Phoenix:


Card Principal:

Cynthia Calvillo venceu Cortney Casey por decisão unânime;

Vicente Luque venceu Bryan Barberena por knockout no 3º round;

Andre Fili venceu Myles Jury por decisão unânime


Card Preliminar:

Aljamain Sterling venceu Jimmie Rivera por decisão unânime;

Manny Bermudez venceu Benito Lopez por finalização no 1º round;

Andrea Lee venceu Ashley Evans-Smith por decisão unânime;

Nik Lentz venceu Scott Holtzman por decisão unânime;

Emily Whitmire venceu Alexandra Albu por finalização no 1º round.