• Bruno Nunes

TROCA-TROCA NO VÔLEI DE PRAIA


Foto: Reuters
Foto: Reuters

Faltando pouco mais de 1 ano para o início dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o momento das duplas masculinas de Vôlei de Praia ainda é de afirmação. O motivo é o entrosamentos dos times, recém-formados. Essa situação ficou evidente na etapa da China do Circuito Mundial, nenhum dos cinco times chegou, sequer, às quartas de final da competição.


O Brasil é o atual campeão olímpico com Alison e Bruno, porém, a dupla de sucesso não segue junta, no momento, Alison faz parceria com Álvaro Filho e Bruno formou dupla com o atual campeão mundial Evandro. A equipe formado por Evandro e André, campeões mundiais em 2017 também não segue junta.


A maioria das mudanças foram feitas na “janela” de troca do ano passado, porém, as duplas não se acertaram para o restante do ano. Então, há três meses, novamente tivemos diversas mudanças. O resultado desse troca-troca foi o desempenho ruim na última etapa do Circuito Mundial, nenhuma das cinco duplas atuais do Brasil estavam juntas há um ano.


Até os jogos Olímpicos, os brasileiros terão pelo menos 15 competições internacionais para ajustar os detalhes e encontrar um melhor entrosamento, inclusive o Campeonato Mundial. O histórico mostra que nenhuma parceria com menos de dois anos de vida alcançou a semifinal olímpica nas últimas três edições, entretanto, a expectativa é que o Brasil consiga montar pelo menos duas duplas fortes para chegar em Tóquio com possibilidades de conquistar o ouro.