• filipeq09

VAR REFORÇA O BRASILEIRÃO 2019


Foto: Divulgacao/CBF (Fernando Torres)

Mais um avanço para o futebol brasileiro. Após anos de polêmicas envolvendo jogos do Brasileirão Série A, os clubes que disputam a competição definiram em votação que o famoso VAR (Video Assistant Referee) ou simplesmente "árbitro de vídeo" será utilizado em todas os duelos.


O reforço de peso foi anunciado na última sexta, 22, e traz a esperança da redução drástica das confusões, dentro e fora de campo, causadas por lances duvidosos que queimam juízes e assistentes no gramado, além de causar revolta por parte da torcida e ser motivo de debates nas mesas redondas nos dias seguintes - sobretudo quando ocorre em clássicos.


Com o auxílio do VAR, a tendência é que os times se preocupem menos em reclamar com a arbitragem e mais em jogar futebol com qualidade e objetividade, embora faltas no meio de campo, escanteios e demais lances não estejam enquadrados na abrangência do sistema. Os lances a serem marcados ou desmarcados são: gol, penalidade, cartão vermelho direto e alguma identificação marcada de maneira equívoca. Por decisão unânime, a tecnologia, presente desde 2017 no Brasil, está liberada para entrar em ação em prol da evolução do nosso futebol.


Porém, deve ser feita uma observação: mesmo com o VAR fora das quatro linhas, a garantia de 100% de acertos não pode ser considerada, pois já ocorreram lances em que os árbitros de vídeo interferiram em lances e acabaram prejudicando ainda mais os times em campo. Um exemplo claro foi o erro grotesco na temporada passada, na disputa entre Boca Juniors e Cruzeiro, pelas quartas de final da Copa Libertadores da América, na qual os árbitros de vídeo resolveram interferir em um lance de Dedé com o goleiro argentino (choque de forma involuntária) e provocar consequentemente a expulsão do defensor do time mineiro.


Todo cuidado é pouco. Como qualquer experiência ou teste, o VAR é uma que possui suas falhas - que foram mostradas desde o início -, culminando em discussões posteriores entre atletas e o árbitro principal da partida. Mas, polêmica por polêmica, ruim com a tecnologia, pior sem ela.