• filipeq09

VEXAME BÁVARO: O DIA EM QUE A COREIA ATROPELOU

Atualizado: 30 de Mar de 2019


Foto: Reprodução

Não há dúvidas de que a Copa do Mundo FIFA 2018 foi uma atração e tanto. Cheia de emoção e momentos inacreditáveis, o torneio de seleções reuniu os maiores campeões mundiais e promoveu a ascensão de esquadrões que há anos estavam em crise. Um exemplo nato foi a campeã França, eliminada ainda na primeira fase em 2010 e sendo parada nas quartas de final pela Alemanha em 2014 no Brasil.


Voltando a 2018 e falando mais da seleção alemã, a própria foi a protagonista do pior vexame dessa edição de Mundial. Os bávaros já iniciaram sendo derrotados por 1 a 0 pelo México. Na segunda rodada diante de seleção da Suécia veio enfim a vitória, por 2 tentos a 1, o que obrigaria o time a vencer na última rodada para garantir a vaga na fase de mata mata.

O adversário, no papel, era de se tirar de letra: a Coreia do Sul, inexperiente em Copas e com um elenco limitado tecnicamente mas bem organizado em seu sistema de jogo bem definido. No início de partida os alemães partiram pra cima em uma busca incessante pelo gol de abertura do placar. Porém, era claro o descontrole emocional e os erros (incomuns dos, até então, atuais campeões) no meio de campo e na defesa. Erros estes que provocaram contra ataques da Coreia, que não foram aproveitados no primeiro tempo.


Na segunda etapa, mais do mesmo, a Alemanha errava na frente e sofria maus bocados atrás. Em certo momento do confronto a torcida já estava apreensiva e o frio time bávaro parecia não sentir seu mal futebol, parecendo estar atuando em um amistoso internacional. Mas isto já está no DNA da equipe de Joachim Löw, que não se desespera em momento algum, embora tal ação (ou falta dela) irrite muitos torcedores. Apesar disso, o time não desistia, a bola batia e rebatia, e nada de entrar no gol. O goleiro sul-coreano Jo Hyeon-woo também não colaborava, agarrava todas em direção a sua meta.


O que não podia ficar pior, ficou. Nos acréscimos da grande decisão pela vaga nas oitavas, o apático time da Alemanha sofreu o gol de abertura do placar, em lance visto e revisto, e no fim validado, pelo VAR (árbitro de vídeo - estreante em Copas). Era o gol que a seleção bávara (que teve tudo para marcar) não podia levar. Aí sim o desespero bateu e de forma totalmente desorganizada os europeus partiram pra cima da seleção asiática em busca de uma improvável virada histórica.


O que ocorreu depois não estava no roteiro de qualquer torcedor alemão; aos 6 minutos de acréscimo veio a "última pá de terra" para os tetra campeões, quando o goleiro Neuer falhou em uma frustrada investida ao ataque e perdeu a bola, roubada pelo jogador coreano que lançou para o ataque e serviu o companheiro livre de impedimento correr com a bola até o gol adversário, decretando o vexame bávaro por 2 a 0. O incrível aconteceu: a mágica seleção alemã, a mesma do 7 a 1 em cima do Brasil em 2014, estava eliminada. Coisas do futebol!